3 Ecos da Falésia: «DOIS EM UM»

quarta-feira, janeiro 09, 2008

«DOIS EM UM»


Na localidade de MARINHEIROS (Leiria) foi um deus nos acuda, com o rebuliço indignado de pais e outros moradores que protestavam em frente das cãmaras da TVI.
Motivo?
À falta de melhores instalações, pespegaram com os meninos do 1º ciclo na casa mortuária, não para os velarem, mas transformando, provisòriamente o local em sala de ATL.
Para a TVI, casa mortuária é exactamente o mesmo do que MORGUE.
Adiante.
Subiu a mostarda ao nariz dos encarregados de educação.
"-Acha bem?"- perguntava uma mãe. "-Eu acho que não é natural meterem as crianças numa mortuária. Ainda a semana passada tiveram aqui dois corpos a serem velados e ainda se mantém o cheiro das velas, etc. Portanto, isto para pôr uma criança..."
O ETC, na verdade, é que é a parte mais desagradável. Abre aí a janela que cheira um bocado a ETC.

Tanto que a D.Maria José ia esclarecendo a repórter sobre os meios de arejamento da sala:
"-Atão, tem aquela jenelinha, nem se abre. E tem a porta. Se tiver fechada até fica tudo encasulado cá dentro!"
Quem não achou aceitável ter os filhos "encasulados" e protestou, teve de se identificar perante a polícia.
.
Estas cenas fizeram-me lembrar aquela velha advertência duma mãe, que bem podia ter tido lugar, aqui:
"-Natacha Andreia, pára de brincar com o olhos do senhor Lopes!
OUVISTES, RAPARIGA? Se não largas os olhos do senhor Lopes, mando fechar o caixão!"

.
E depois mudamos para a SIC e levamos com os «Mini-malucos do Riso».
Que conseguem ser ainda mais deprimentes.
.
.
*********************************************************************
Etiquetas: O país real, uns munícipes mal agradecidos e etc.

12 Comments:

At 7:00 da tarde, Blogger Maria said...

Olha, nem sei muito bem o que te dizer.
Acho que estamos num país de loucos, em que a loucura vai aumentando dia a dia, a começar pelos nossos "chefes".... esses mesmo, que comem à nossa conta e nos ofendem, a todos os níveis, a cada minuto que abrem a boca....

Beijinhos

 
At 10:47 da tarde, Blogger Cris Caetano said...

Eu assisti daqui, deste outro lado do Atlântico a notícia, e fiquei meio apatetada, só conseguia pensar (tenho uma certa agonia, confesso) nas bactérias deixadas pelos defuntos (que Deus os tenha...) e as criancinhas ali, passando as mãozinhas pra cá e pra lá...Iiiirc!

Mini-malucos do Riso?! Acho que a "SIC Internacional" não se lembrou "ainda" de enviar para cá.

Beijinhos

 
At 10:19 da manhã, Blogger Luis Eme said...

O problema é que começamos a olhar para tudo como ETC...

Este país está a ficar demasiado deprimente para o meu gosto.

Abraço Sininho.

 
At 11:15 da manhã, Blogger Sininho said...

Maria:
Num país de gente "mal acabada", estamos com certeza. É outra forma de lhes chamar loucos, se quiseres.
Já os nossos "chefes", embora se comportem às vezes como tal, são-no menos do que nós, que ainda acreditamos neles...
(vejam-se as sondagens)

Beijinho

 
At 11:25 da manhã, Blogger Sininho said...

Cris:
Pode ser uma forma de imunização para as criancinhas (tipo vacina)...

Sorte, muita sorte para os espectadores da SIC Internacional, não serem sujeitos a essa tortura.
A chamada SIC generalista já deixou de ter alguma coisa de interesse, fora dos blocos noticiosos. É só palhaçadas e telenovelas sem qualidade.
Valha-nos a SIC Notícias (para quem tem TV Cabo).

Beijinho

 
At 11:34 da manhã, Blogger Sininho said...

Luís:
Pois esse é o grande problema.
É o Governo, é a AR, são os tribunais, os serviços de Saúde, as Câmaras Municipais, os clubes de futebol, os condóminos do prédio... é ETC por todo o lado.
Tampões para o nariz, PRECISAM-SE!

Abraço

 
At 3:53 da tarde, Blogger poetaeusou . . . said...

*
como podem descansar os mortos,
com o barulho da canalha,
,
francamente, isto revolta, pá,
,
xi
*

 
At 7:33 da tarde, Blogger Sininho said...

Poeta:
Achei curioso o termo empregado:
"Canalha"... tìpicamente nortenho.
Vou esclarecer os sulistas:
"Canalha" é o mesmo que "miudagem", "criançada".

Acho compreensível a tua revolta.
Estou contigo.

Abraço

 
At 2:26 da tarde, Blogger Hernani Caroço said...

Acho que tudo o que diga respeito ás criancinhas é motivo de intervenções histéricas alimentadas pelos canais dos horrores. OS pais, ressabiados de protagonismo, gritam com tudo o que aparecer desde que haja uma camara de televisao a filmar. Uma casa mortuaria nao é o mesmo que uma Morgue, e a primeira será provavelmente uma divisão da paróquia, instituição local aceitável para um ATL. Daí a que as crianças convivam diariamente com os defuntos vão alguns metros e mesmo que se cruzem com um será uma optima oportunidade para a sua formação sobre a vida e a morte. TUdo o resto é traumatismo!

 
At 4:08 da tarde, Blogger Sininho said...

Hernani Caroço:
Concordo inteiramente com a primeira parte do seu comentário.
Mas continuo a achar bizarra a situação...

Obrigada por comentar.

Abraço

 
At 10:49 da tarde, Blogger Cris Caetano said...

Desculpa, mas vou pedir para poder intervir por causa do comentário do Hernani.
Brincadeiras à parte, espaços são pensados e criados para determinados fins: um hospital, ou uma escola, ou uma casa funerária têm concepções arquiteturais e legislações diferentes e específicas. E sempre que se lida com crianças - e os educadores sabem disso -, tem de se ter mais cuidado com os equipamentos e sua logística. Essa mania de se dar um "jeitinho", e "coloca ali meia dúzia de cadeiras e de mesas que fica bem", é bem típico de Brasil e Portugal.

Impressões à parte, não se obriga uma criança a conviver com a morte. O fato acontece naturalmente, e traumatiza, sim. E quando é possível evitar, melhor ainda.

Me desculpe, Sininho e antecipadamente, obrigada.

Beijinhos

 
At 3:13 da tarde, Blogger Sininho said...

Cris:
Ora essa, o espaço é vosso.
Podem comentar-se uns aos outros, contraditar-se, as opiniões são livres.

Beijinho

 

Enviar um comentário

<< Home