3 Ecos da Falésia: O RESPEITO É BOM PARA OS OUTROS

sexta-feira, janeiro 18, 2008

O RESPEITO É BOM PARA OS OUTROS



-"A informação que temos é que não há qualquer associação entre a situação reorganizativa nos serviços de saúde da Anadia e o óbito da criança".
.
Correia de Campos podia ter mantido o registo. Mas impacientou-se.
À insistência do jornalista que insinuava a possibilidade de o bebé se ter salvo, caso as urgências não tivessem sido encerradas, respondeu o ministro:
-"Ouça, se as suas avòzinhas ou bisavòzinhas não tivessem morrido, ainda hoje eram vivas!"- E seguiu adiante.
.
Para um ministro que não gosta de "jocosidades", quando vindas dos outros, saíu muitíssimo mal na fotografia.
Deviam ter-lhe ensinado que ministros, ainda por cima da Saúde, não podem tratar a morte com tanta ligeireza.
Em tempos isso deu origem à demissão imediata de um secretário de estado.
.
Outros tempos, embora não tão distantes.
Mas, seguramente, outro rigor.
.
.
******************************************************************

17 Comments:

At 11:07 da tarde, Blogger Maria said...

Este assunto é triste demais para eu brincar com ele. Porque me apetecia dizer ao snr. ministro que, se o paizinho dele tivesse praticado um dos métodos anticonceptivos à época, o coito interrompido, ele não teria nascido, e haveria menos um burro. Nem nós ouviríamos tanta asneira vomitada daquela boca imunda.
Ele só tinha que pedir, no momento, desculpa à família do bebé, e mais nada....

Desculpa, já disse, mas isto revolta-me os fígados.

Beijinhos

 
At 11:59 da tarde, Blogger Cris Caetano said...

Abri o computador e passei aqui porque achei que podia encontrar alguma referência a essa notícia. Ando meio vidente? Hum...acho que sabia que ias ficar chocada com o sorrisinho - e não só - do Ministro durante a entrevista.

Eu pensei em dizer que não estou entendendo a lógica desse governo em fechar tantas urgências médicas pelo país à fora, mas percebi que não é questão de lógica e sim de falta de humanidade, além de um caso de soberba administrativa de quem não sabe governar.

Beijinhos e bom fim de semana

 
At 10:32 da manhã, Blogger Maria said...

Bom dia Sininho
Vai lá que tens um prémio..... no 1º post de hoje.

Beijinhos

 
At 2:46 da tarde, Blogger Luis Eme said...

Ouvi e também achei de muito mau gosto a "boca" do ministro, como se os avós da jornalista tivessem alguma coisa a ver com o desnorte que invadiu a saúde.

Ele devia estar calado, ou então, apresentar as condolências à família do bebé...

Claro que ele é a "voz do dono", mas uma razão para se calar, Sininho...

 
At 8:14 da tarde, Blogger Sininho said...

Maria:
É um facto que o ministro apanhou o hábito de dar coices.
Já é uma coisa que passou a fazer parte da sua natureza.
Sem pretender caír no insulto directo, sempre vou lembrando que quem dá coices costumam ser as cavalgaduras.
E mais não digo.
Não tens nada que pedir desculpa.
O ministro é que devia pedi-la.
Não só aos pais do bebé, pela forma de se expressar, como ao país em geral, todos os dias e várias vezes por dia.

Como passei este Sábado radioso perto da minha falésia, só ao final do dia vi que me tinhas presenteado.
E não foi qualquer coisa!
Aperto-te, virtualmente, os costados e aceito com a maior naturalidade.
Que tu és, de verdade, uma AMIGA que me acompanha diàriamente.

Beijão, Maria e muito obrigada.


PS- Só queria conseguir colocar o raio do logo, bolas!

 
At 8:24 da tarde, Blogger Sininho said...

Cris:
A menina também tem uma bola de cristal, tem?

Já não é só o sorrisinho do ministro que me provoca alergia.
É o próprio, por inteiro.
Ùltimamente, além do mais, deu-lhe também para ser incorrecto.
A graçola saiu completamente a despropósito no local e dentro do contexto em que foi proferida.

Beijinho e bom Domingo.

 
At 8:25 da tarde, Blogger Sininho said...

Luís:
Sintetizando, eu acho que ele devia pintar a cara de preto.
(sem conotações racistas...)

Abraço

 
At 12:34 da manhã, Blogger samuel said...

Se a avòzinha do próprio também fosse viva, talvez lhe desse um bom estalo nas trombas para não ser mal educado...
Digo eu, que acabei de escrever com toda a graciosidade, "estalo nas trombas" :)

 
At 1:31 da manhã, Blogger Sininho said...

Samuel:
"Com toda a graciosidade", disse muito bem.
Ahhhh (ar melancólico), já não se fazem mais avòzinhas como antigamente.

Abraço

 
At 2:46 da tarde, Blogger multiolhares said...

Quantas vezes olho para os nossos
governantes e me interrogo, são estas pessoas que
nos governam? A verdade é que já não há decoro,
sentimentos respeito, os valores estão-se a perder.

Beijinhos
luna

 
At 10:47 da tarde, Blogger poetaeusou . . . said...

*
Ouça, se as suas avòzinhas ou bisavòzinhas não tivessem morrido, ainda hoje eram vivas!
,
com este MINISTRO ???
livra !!!
,
vieram profetas,
vieram doutores,
santos milagreiros,
lálálálálá
para lixar a vida da gente ...
,
conchinhas
*

 
At 12:44 da manhã, Blogger Sininho said...

Luna:
A falta de decoro e a arrogância provêm da sensação de impunidade que dá uma maioria absoluta.
Com facilidade se resvala para a má educação e o autoritarismo.
O poder é danado para modificar as pessoas que o procuram...

Beijinho

 
At 12:48 da manhã, Blogger Sininho said...

Pois é, Poeta.
Com este ministro, as avòzinhas e sobretudo as bisavòzinhas têm cada vez menos chance de sobreviver...
Mau para mim que já sou avòzinha...

Abraço

 
At 1:01 da manhã, Anonymous Anónimo said...

Coitados de Portugal e dos Portugueses.

A.Deus

 
At 1:14 da manhã, Blogger Sininho said...

Anónimo da 1:01 AM:
Faço minhas as suas palavras.

Não diga A.Deus; volte sempre.

 
At 1:34 da manhã, Blogger Pedro said...

Sininho

Se as avós e bisavós deles não tivessem nascido, hoje estávamos se calhar mais bem servidos. Pelo menos, nunca se sabe...
Quanto ao rigor, hoje em dia o único que parece que há é o dos temporais e o que a maioria dos Portugueses tem de ter para gerir as contas.

 
At 11:17 da manhã, Blogger Sininho said...

Pedro:
Eu não sou vocacionada para discutir assuntos relativos ao fisco mas ainda hei-de ter uma palavra a dizer sobre todas as arbitrariedades que estão sendo cometidas na sombra, sobre uma população que já nem levanta a cabeça.

Abraço

 

Enviar um comentário

<< Home