3 Ecos da Falésia: AVISO À NAVEGAÇÃO

quarta-feira, maio 30, 2007

AVISO À NAVEGAÇÃO


Sobre publicidade pouco séria:

O ACTIMEL fornece ao organismo uma bactéria chamada L.CASEI. Esta substância é produzida normalmente por 98% dos organismos, mas quando é administrada externamente por um tempo prolongado, o corpo deixa de a fabricar e, pouco a pouco, "esquece-se" de que deve fazê-lo e de como deve fazê-lo, sobretudo em pessoas menores de 12 anos.
Na realidade, foi criado na forma de um medicamento para essas poucas pessoas que não a "fabricam", verificando-se posteriormente que esse universo era tão pequeno que o produto deixou de ser rentável.
No sentido de contrariar esta falta de rentabilidade, foi vendida a patente a empresas do sector alimentar.
A Secretaria de Estado da Saúde de Espanha, obrigou a ACTIMEL a indicar na sua publicidade que o produto não deve ser consumido por um tempo prolongado.
Se virmos o anúncio com atenção, está lá: "DESAFIO ACTIMEL: TOME DURANTE 14 DIAS".
Uma forma subtil de cumprir a norma, sem que o consumidor se aperceba e continue a consumir o produto, achando que está a reforçar as defesas do organismo.
Com isto, uma mãe que decida completar a dieta do seu filho com o ACTIMEL, não sabe que pode estar a causar um dano significativo à saúde futura dessa criança. ou à sua, devido à manipulação publicitária da multinacional DANONE.

Nem faço ideia se o mesmo se passará com as margarinas e iogurtes que prometem a redução do colesterol e outros que tais...
.
.
.

12 Comments:

At 12:46 da manhã, Blogger Maria said...

É verdade, Sininho, e há quem tome disto diariamente e durante tanto tempo...
... porque dizem que faz bem...
E a mania do chá verde para emagrecer?
O tal, sem cafeína, e que se deve beber 1,5 litro por dia para emagrecer....

Enfim....
Beijinhos

 
At 1:52 da manhã, Blogger Cris Caetano said...

Cruzes! Que perigo! Sinto muito dizer isso mas confio muito no meu "achismo", portanto não consumo nada que tenha "lacto-bacilos" ou outros bichinhos por achar que podem não fazer bem...enfim.
Sou da "antiga", ou seja, até na hora de consumir chá verde - aproveitando a deixa da Maria - procurei saber qual o máximo por dia recomendado.
beijinho

 
At 9:56 da manhã, Blogger Luis Eme said...

A publicidade não tem meios termos... que é facturar...

Já tinha lido um e-mail sobre isso e apostei logo na prevenção...

O que irrita Sininho, é ver algumas pessoas venderem-se por produtos pouco sérios. Um dos "spots" publicitários que mais me irrita é a Rosa Mota, com a sua magreza, fazer publicidade a um iogurte, que reduz o colestrol (como se isso fosse possível...).

 
At 3:10 da tarde, Blogger Sininho said...

Maria:
As pessoas estão predispostas a acreditar no que quer que seja, desde que implique pouco sacrifício.
Já quanto a dietas equilibradas, o caso muda de figura...

Beijinho

 
At 3:14 da tarde, Blogger Sininho said...

Cris:
Também eu sou uma adepta do "achismo", com o que tenho aprendido ao longo dos anos.
Certa publicidade comigo não tem sucesso...

Beijinho

 
At 3:24 da tarde, Blogger Sininho said...

Luís:
Devo dizer-te que há pessoas magríssimas com elevados níveis de colesterol.
As iludências aparudem, como diz o outro que é disléxico.
Mas a ideia de utilizar a Rosa Mota deve ter a ver com a ideia subliminar da magreza aliada ao menor nível de colesterol...
Mesmo agora acabei de vê-la de Danacol na mão...
O post baseou-se exactamente num mail que me mandaram e que só veio reforçar o que eu há muito pressentia.

 
At 12:28 da manhã, Blogger a.leitão said...

Só por curiosidade.
A 1ª vez que tomei conhecimento do L.Casei foi nos princípios da década de 70. Era então vendido, como fármaco, para regularizar o trânsito intestinal. Era constituído por duas ampolas, uma com um excipiente líquido e outra com um liofilizado que se misturavam para logo a seguir ser ingerido. De facto, como dizes, o mercado era "curto" e o efeito uma droga.

 
At 12:09 da tarde, Blogger Sininho said...

A.Leitão:
Aí está um pormenor interessante que eu desconhecia.

 
At 5:28 da tarde, Blogger Paulo said...

Não se deve acreditar em tudo que se lê.
Aproveitem para ler um texto de uma especialista sobre este tema em rerumnature.blogspot.com

 
At 5:32 da tarde, Blogger Paulo said...

Desculpem é no blogue do Público de rerum natura.

 
At 1:36 da tarde, Anonymous Áurea Ponte said...

Sininho

São os tais excessos da publicidade, que numa economia de mercado livre e aberta, não têm em consideração, muitas vezes, os riscos inerentes para a saúde dos produtos que publicitam, assim como o bem-estar dos consumidores, mas tão-somente o lucro!
Os próprios consumidores é que têm de ter a noção clara dos riscos que eventualmente possam correr, e esclarecerem-se sobre os produtos que consomem.

Beijinho e obrigada pelo alerta!

 
At 9:46 da tarde, Blogger Sininho said...

Áurea:
Pois ainda agora a Becel pro-activ foi proibida de fazer publicidade ao produto e já arranjou um novo azeite com os mesmos aditivos, apenas trocando duas letras...
Não há nada a fazer...

Beijinho

 

Enviar um comentário

<< Home