3 Ecos da Falésia: OS FORMIGUEIROS E O LOBO FELIZ

segunda-feira, junho 04, 2007

OS FORMIGUEIROS E O LOBO FELIZ



"FORMIGUEIROS" é a designação informal dada aos pequenos furtos, como o daquela senhora apanhada a esconder nos bolsos um pacote de esparguete, outro de açúcar, um queijo e um perfume, dentro de um supermercado LIDL, em 2005. A soma dos preços não chegava a 10€.
Para evitar a vergonha de ir a tribunal, a senhora aceitou pagar 300€ de multa.
.
Recentemente, uma outra foi acusada pelo furto de um creme cosmético, também num LIDL.
O valor não chegava a 4€, mas esta recusou pagar os mesmos 300€, pelo que aguarda julgamento, EM LIBERDADE. Esperemos que não lhe ocorra escapar para o estrangeiro.
.
O LOBO desta história, de seu nome próprio, Franquelim, tinha sido detido em Espanha, em 2004, no decorrer duma operação do Corpo Nacional de Policia de Espanha, em colaboração com a Polícia Judiciária Portuguesa.
Nessa operação foram confiscados 132 imóveis no Sul do país vizinho, no valor de 42 milhões de Euros, relacionados com um esquema de lavagem de dinheiro por parte da rede dirigida pelo amigo Lobo, considerado um dos principais traficantes de droga da Península Ibérica.
Além dos imóveis, foram apreendidos 2 automóveis topo de gama e mil Euros em notas.
.
Levado a julgamento num tribunal de 1ªInstância, em Sesimbra, foi condenado a 25 anos de prisão, tendo recorrido da sentença.
Graças aos habituais "erros processuais", o Supremo Tribunal de Justiça não só não lhe validou a anterior condenação, como lhe concedeu um "Habeas Corpus" que lhe permitiu escapulir-se para o Brasil.
Em Março de 2005, a Polícia Federal do Brasil deteve-o durante um ano, até a Justiça Brasileira concordar em extraditá-lo para o seu país de origem.
Recomeçaram, então, os procedimentos para a marcação de novo julgamento, iniciado a 27 de Março deste ano, na Boa-Hora.
.
O advogado de defesa, nas alegações finais, afirmou que toda a acusação se baseou apenas num papel com o número de telefone dum outro arguido, julgado no primeiro processo, pelos mesmos crimes de tráfico de droga e associação criminosa.
Denunciou ainda ter o seu cliente sido alvo de "ESCUTAS TELEFÓNICAS ILEGAIS", por parte da PJ.
.
A PJ não há maneira de aprender que escutar criminosos é uma coisa muito feia que não se faz.
Depois acontecem estas surpresas como a de hoje, ao princípio da tarde:
Lá absolveram o nosso Lobo sortalhudo!
.
A ver, agora, se tiveram mais juizinho com o serial killer de Santa Comba.
Ou, se calhar, também não.
.
.
.

12 Comments:

At 11:07 da tarde, Blogger Maria said...

Esta é, sem dúvida, uma das vergonhas da nossa chamada "justiça".
Como é que é possível?
A condenação deste homem não seria uma das formas de combater o tráfico de droga, de combater a droga em si, o seu consumo?
Será que o juíz que decidiu este caso não tem, por sinal, um filho ou uma filha, que pudesse vir a ser cliente do homem que ele agora libertou, para que o juíz veja bem como é?
Cada vez me apetece mais emigrar...

Beijinhos, Sininho

 
At 11:57 da tarde, Blogger RB said...

Enfim... comentários para quê?

 
At 12:26 da manhã, Blogger Sininho said...

Maria:
É a última, dada à estampa.
Com um mínimo de divulgação, note-se. Menos de um minuto, na SIC.
Uma sentença destas chega para desmoralizar, certamente, quem se esforçou para entregar este espécime à nossa Justiça.
Até acredito que muito juiz anónimo cumpra exemplarmente o seu dever, mas há sempre alguns que conseguem manchar de vergonha toda a classe.
É muita pena, de facto, estes não sentirem na pele como elas mordem.

Beijinhos.

 
At 12:29 da manhã, Blogger Sininho said...

RB:
Os factos falam por si, evidentemente.
Bem vindo ao cantinho.

 
At 12:50 da manhã, Blogger a.leitão said...

Conclusão: isto tudo é mesmo uma droga!
A porra disto tudo é se um dia a "gaijada" acorda... o que eu duvido.

 
At 10:34 da manhã, Blogger Barão da Tróia II said...

Quanto mais oiço desta (in) Justiça Lusa mais vontade tenho de rir, sim, porque com Juízes destes, leis destas, nem sei par que se dão ao trabalho de fingir que há Justiça, boa semana.

 
At 2:22 da tarde, Blogger Sininho said...

A.Leitão:
È realmente uma droga de Justiça que nos é dada a conhecer, dia sim, dia também.
Se calhar é a que merecemos, já que, com honrosas excepções, também fazemos parte duma droga de povo: Amorfo e alienado.

 
At 2:29 da tarde, Blogger Sininho said...

Barão da Tróia II:
E o dinheirinho dos nossos impostos a pagar a palhaçada.
Sim, que Mr. Lobo já deu a conhecer a sua intenção de pedir uma idemnização ao Estado Português, por perdas e danos.
Pelo andar da carruagem, vai ganhar a acção.

 
At 12:32 da manhã, Blogger Luis Eme said...

Este título está um espectáculo!

Nãp me apetece falar do resto... está tudo dito.

 
At 12:58 da manhã, Blogger Sininho said...

Luís:
Como já deves ter notado, a imprensa falada e escrita mal tocou no assunto, que não interessa nada.

 
At 2:29 da tarde, Blogger Sininho said...

Só duas palavras para emendar um pouco o que disse sobre a imprensa estar desinteressada do assunto.
No PÙBLICO de 6 de Junho, o 2ºCaderno transcreve, na segunda página, o texto integral deste post, na secção "Blogues de papel".
Ó pra mim, toda inchada...

 
At 2:49 da tarde, Anonymous Áurea Ponte said...

Sininho

"OS FORMIGUEIROS E O LOBO FELIZ"

Um título muito feliz, encabeçando um excelente texto, que diz tudo sobre a nossa famigerada justiça e cáfila de justiceiros que por aí pululam!

As "formiguinhas deste País" são constituídas arguidas e sofrem as consequências por delitos sem história; os verdadeiros LOBOS (coitados dos lobos de quatro patas) cujos crimes são de um tamanho inenarrável saem impunes!
Como é possível tamanho dislate! Nem tenho palavras - ou tenho-as - mas não as digo... por serem demasiado fortes! A Justiça neste País é uma anedota e uma grande palhaçada!

Beijinhos e muitos parabéns pelo tema do post

 

Enviar um comentário

<< Home