3 Ecos da Falésia: OS BURROS, AS GALINHAS E OUTROS ANIMAIS

terça-feira, março 20, 2007

OS BURROS, AS GALINHAS E OUTROS ANIMAIS

A Senhora Arquitecta Roseta, juntamente com a Plataforma Artigo 65, deslocou-se ao Porto para entregar, no Tribunal Administrativo
e Fiscal desta cidade, uma providência cautelar (mais uma) destinada a travar o despejo de 16 famílias ciganas que ali vivem há cerca de 20 anos, em péssimas condições de salubridade.
A autarquia pretende alojá-las, provisóriamente, em pensões, enquanto não são realojadas em bairros camarários, coisa que não lhes agrada porque "a gente numa pensão não se sente à vontade".
Se calhar os donos das pensões também não, mas isso são contas de outro rosário.
-"A gente quer é uma casinha e nem se importa de pagar renda, desde que não seja cara" - disse um simpático cavalheiro, enquanto fumava o seu cigarrinho, comprado com o rendimento social de inserção.
.
O presidente da Assembleia de Freguesia de Campanhã, José Miguel Silva, explicou:
-"Estivémos no terreno, falámos com as famílias e percebemos que é inviável o seu alojamento em pensões. Têm galinhas, burros e outros animais que, òbviamente, não podem levar para as pensões".
.
Ora, para poderem continuar a ter as suas galinhas, os seus burros e outros animais, das duas uma:
Ou estão á espera de uma vivendazinha com terreno para os colocar, ou de um andar com varandas bem espaçosas para lá porem as bichezas.
.
E, aqui chegados, terão pensado o Sr. Silva mais a Senhora Arquitecta:
.
Pena não terem também vacas que, estando na varanda, até iam dando leite fresco...
(como na velha história do Raúl Solnado)
.
TLIM

16 Comments:

At 6:34 da tarde, Blogger Maria said...

As galinhas podem sempre pô-las dentro da banheira, com um bocado de areia e umas pedrinhas para as entusiasmar...
Quanto aos outros animais e aos burros... vai ser mais complicado.
Lembras-te de um filme do Arrabal, "J'irai comme un cheval fou"? Pois foi o que me veio à memória quando li o teu post...
... daí a banheira...

Beijos

 
At 7:13 da tarde, Blogger Sininho said...

Maria:
Não vi o filme do Arrabal.
Mas o teu comentário remeteu-me para os ciganos dos filmes do Kusturica, que também eram uns belos cromos...
Beijinhos

 
At 7:45 da tarde, Blogger a.leitão said...

Sininho,
Em todas as Sociedades há aqueles que evoluem e outros ficam-se. Há muitas familias ciganas que se adaptaram à civilização e procuram integrar-se o melhor que podem e sabem, outras, por força de uma permissividade socio-política, como a dos fulanos(as) citados aproveitam-se e os pagantes que os gramem. Mas há outras "etnias" que entendem que o Povo deve contribuir para os seus extras e para as suas "quintas" privativas nas mesmas condições que estas famílias ciganas, e logo vem o oportunismo político alimemtar-lhes as reinvindicações. Vide o tal de Parque de Campismo, aí para essas bandas.

 
At 8:30 da tarde, Blogger pexito-do-campo said...

há alguns ciganos civilizados, ou tentam ser. mas a verdade é que é um bocado lixado em f, nós contribuintes estar-mos pagar impostos para sustentar outros que não querem fazer nenhum.

 
At 11:33 da tarde, Blogger Cris Caetano said...

Travar?!!! Eu, hein!
Eu não devia ficar admirada, mas sempre que este tipo de atitude vem de um/a arquitecto/a, me deprime. Passamos anos numa faculdade e depois, "em campo", antes de nos formar para aprendermos sobre vários aspectos da arquitetura, urbanismo, saneamento básico etc; é uma profissão que vai muito além de desenhar uma casa bonitinha e fashion para a burguesia e leio esta notícia...
O distrito do Porto passou por uma situação parecida em Francelos com os ciganos...claro que eles não queriam sair, que foi um auê, que acabaram desalojados e vivendo temporariamente em barracas, etc., mas depois ficaram muito felizes etc e tal, como é o habitual...

Enfim, só para dizer que a atitude é errada vindo de uma arquitecta e sendo a senhora arquitecta Roseta, fico surpresa...
Ok, há anos atrás me enganei, acontece!
beijinho

 
At 11:35 da tarde, Blogger Cris Caetano said...

UPS..."formarmos", foi mal!!!

 
At 1:00 da manhã, Blogger Sininho said...

A.Leitão:
Nem calculas o que eu gostaria de conhecer uma dessas famílias evoluídas e adaptadas aos hábitos normais da nossa civilização, de que falas!
Mas, infelizmente e lamento dizê-lo, a minha experiência pessoal, relativamente à dita etnia, não tem sido das mais famosas...

 
At 1:17 da manhã, Blogger Sininho said...

Pexito-do-Campo:
Não é bem "fazer nenhum"...
Alguns ainda traficam umas substanciazitas, vendem uns produtos contrafeitos, mendigam um pouco...enfim:
Tudo para ajudar ao orçamento familiar.

 
At 1:46 da manhã, Blogger Sininho said...

Cris:
Não há porque ficar admirada.
Neste caso, como em quase tudo, trata-se de uma reacção política.
O presidente da Câmara é duma determinada côr partidária, o presidente da Assembleia de Freguesia e a Helena Roseta não comungam dos mesmos ideais, logo...
Aqui, é assim que tudo funciona.
Age-se de uma forma, quando se está do lado do poder e exactamente ao contrário, quando se está do lado da oposição...
Se os campos se inverterem, em resultado de uma eleição, funciona tudo mais ou menos da mesma maneira, só que...ao contrário.
Como em tudo, há excepções.
Ou, pelo menos, ainda se acredita que as haja. Senão ninguém compareceria para deitar o voto na urna...
Beijinhos

 
At 10:42 da manhã, Anonymous Anónimo said...

O sr. leitão deve estar a querer equiparar os campistas a ciganos mas esquece-se que os campistas pagam os seus impostos e que parques de campismo existem em todo o mundo civilizado.
Os impostos que estes pagam devem servir para pagar obras públicas que sejam necessarias aos contribuintes.
Na costa da caparica o que se passa é que as obras que precisavam ter sido feitas em tempo útil não foram feitas e agora é o que se vê

 
At 1:05 da tarde, Blogger Sininho said...

O Anónimo às 10:42 AM veio dar uma resposta a outro comentador, pelo que não me cabe, aqui, tecer mais considerações...

 
At 5:53 da tarde, Anonymous Homem do Mar said...

Ao anónimo que defende os campistas, saiba que aquele local já pertenceu ao mar e vai voltar a pertencer.
Todo o dinheiro que se enterre ali é o mesmo que deitá-lo pela borda fora.
Melhor seria mudar o parque para outro local e não andar a torrar dinheiro à toa!

 
At 8:22 da tarde, Blogger Sininho said...

Homem do Mar:
Sendo do mar.. lá saberá do que fala.

 
At 1:32 da manhã, Blogger a.leitão said...

Relativamente ao anónimo das 10:42 terei de acrescentar que por definição um Parque de Campismo é para acampar e não para "estacionar". É na essência um local "pro-nómada" sem "encaixe" permanente onde os frigo não existem, tão pouco as poltronas ou as TVs, são tendas senhor, nada mais. Em tudo o mais, o comentador Homem do Mar diz o que resta

 
At 12:43 da tarde, Blogger Sininho said...

A.Leitão:
Embora o teu comentário se destine ao Anónimo das 10:42AM, acrescento que, quanto à definição de "campismo", não podia estar mais de acordo.
Penso até que existe uma lei qualquer que restringe a estadia, nos parques, a um determinado período de tempo.
Mas, como sabemos, grande parte das leis existem para serem ignoradas.

 
At 10:42 da manhã, Anonymous Anónimo said...

ora deixem-me cá fazer um comentário racista e estúpido à altura deste blog imbecil...

"toda a gente que vi escrever neste blog é estúpida que nem uma porta, logo toda a gente que escreve em blogs é atrasada mental..."

ora bolas, parece que ofendi toda a gente, inclusive a minha própria inteligência

p.s.
...acho que o racismo estúpido que transborda por estas páginas não é muito diferente disto, pois não?

 

Enviar um comentário

<< Home