3 Ecos da Falésia: NOVOS TEMPOS

sexta-feira, fevereiro 22, 2008

NOVOS TEMPOS




Mesmo que hoje não pareça possível, eu garanto (por experiência própria) que há uns anos atrás se vivia sem que, recorrentemente, os paroquianos espancassem os padres, os doentes fossem à cara dos médicos ou enfermeiros, as criancinhas e respectivos familiares agredissem os professores, os filhinhos pontapeassem os pais e os canalizadores nos tratassem por "você", e nós a retorquir "Sr. Fulano, eu agradecia-lhe muito se..."
Bem sei que podem achar o último exemplo um tanto descabido em face dos anteriores mas, pessoalmente, chateia-me bastante, posso assegurá-lo.

Saibam que nesses mesmos tempos, era comum as senhoras promoverem em casa de umas e outras, as chamadas "REUNIÕES TUPPERWARE".
Que eram umas caixas para frigorífico, de qualidade superior.
A vendedora exibia as últimas novidades e oferecia catálogos.
A dona da casa providenciava uns bolinhos e uns refrescos e ganhava um brinde pela gentileza.
Pelo meio, aproveitava-se a ocasião para pôr em dia a coscuvilhice natural nos cidadãos deste país.
Tudo muito pacífico e simples.
Ninguém se lembrava de fazer pressões para que se comprasse o que não se queria, nem se forçava à assinatura de qualquer espécie de contrato para a compra a prestações de colchões ortopédicos, serviços de copos de cristal, ou outros items igualmente inúteis e dispendiosos.

E agora, em que se transformaram esses aprazíveis encontros?
Pois muito simplesmente em "REUNIÕES TUPPERSEXO".
É verdade.
Os artigos, cuja demonstração se faz, passaram de inofensivas caixas, a algemas, chicotes, botas pretas com saltos de alumínio, máscaras com enormes narizes, jogos com «massajadores faciais» telecomandados(!) e outros.
Podem pôr a imaginação a trabalhar que "isso" virá de certeza dentro da MALETA VERMELHA, onde cabem as novas maravilhas que põem os casais a funcionar.
Dá para ver o contraste com a vida fastidiosa e parada dos portugueses e portuguesas de há uns anos atrás?
Dá.
Mas depois temos mais:
As promotoras desses artigos aceitam inscrições para aulas de "POLE DANCE".
Que é aquele varão usado nos «estabelecimentos de diversão nocturna destinados a cavalheiros», à roda do qual as meninas executam o tipo de movimentos que fazem entusiasmar os senhores que assistem.

Pronto. Elas aprendem a executar. E depois, quando quiserem levar um varão lá para casa, compram-no aonde? No IKEA?
E, enfim, mesmo nos dias de hoje, as senhoras casadas PAGAREM (e não deve ser pouco...) para aprenderem a comportar-se como prostitutas, não será um bocadito BIZARRO?
Pois. Se calhar também não.

*********************************************************************

10 Comments:

At 9:18 da tarde, Blogger Cris Caetano said...

Ri muito, Sininho...
Ainda um dia desses conversava com algumas amigas (que tanto são mais velhas, como mais novas do que eu) a respeito dessa proliferação de aulas do tal Pole Dance e unânimes, concordamos que é preciso muita cara de pau tanto para aprender como para executar, e olha que de todas, eu sou a que tem a cabeça mais aberta, mas há certas coisas... não sei, não... rsrsrs

Beijinhos e bom fim de semana

 
At 9:34 da tarde, Anonymous Anónimo said...

As armas e os VARÕES assinalados...
Já o Camões falava deles.
Qual é a novidade?

 
At 1:24 da manhã, Blogger Sininho said...

Cris:
Aparentemente, há quem goste de ser tratada como um mero objecto de entretenimento...
Ele há gostos para tudo:)))

Um bom fim de semana também para ti.
Beijinho.

 
At 1:28 da manhã, Blogger Sininho said...

Anónimo das 9:34 PM:
Ao que me consta, esse tipo de "varão" vai começando a rarear, nos dias que correm...

 
At 3:54 da manhã, Blogger Maria said...

A esta hora fiquei de boca aberta. Não sei se por causa da hora, se por causa do texto....
Olha, Sininho, ainda tenho caixas dessa marca T. compradas há mais de 35 anos... acreditas? E funcionam, ainda...
Nunca tinha ouvido falar nessas reuniões novas que agora parece que existem. Se fores a alguma delas (hehehehehehehehehehehehehehehe) inscreve-me, vou contigo, só pra "rabiar"... (não vem de rabo).
Pensando bem, já te imaginaste a dizer, vá, bate-me, chicoteia-me, algema-me, eu sei lá, ou a ouvires dizer isto..... se calhar dá "pica" (ai, a esta hora....).
Fogo, onde está o AMOR nas relações das pessoas?
Eu sei que sou antiga, mas acho que tenho a mete aberta, carago..... e essa treta não me entra....

Beijinhos

 
At 11:19 da manhã, Blogger Sininho said...

Maria:
Se acredito que ainda tens caixas dessas?
Pois se eu também as tenho...
Se algum dia me passassse pela cabeça entrar numa dessas novas reuniões, é porque, de certeza estaria totalmente bêbeda...
Assim, não sei se iria lembrar-me da tua inscrição:)))))
Olha, Maria não hão-de os muçulmanos achar que estes "infiéis" andam a pedi-las, hehehe...

Beijinho

 
At 7:21 da tarde, Blogger Luis Eme said...

És um espectáculo, Sininho!

Rimos, apesar da conversa ser séria...

Quem diria, não é?

Então a última parte... pois devo ser mais antigo do que o que pareço... e concordo contigo em relação ao varão. E vou mais longe, as mulheres querem deixar de ser "objectos" e depois, têm aulas de dança "à puta", para agradar aos seus "homens"? Há qualquer coisa que não encaixa bem...

abraço

 
At 9:24 da tarde, Blogger Sininho said...

Luís:
Decididamente há as que, além de não terem uma migalhinha de amor-próprio, manifestam (ainda por cima) uma certa tendência para o chinelo...
Anda um vento de loucura a varrer muita cabecinha...

Abraço

 
At 11:53 da tarde, Blogger a.leitão said...

Sininho,
Creio que estás mal informada.
Aquilo é uma questão de troca dos Bs pelos Vs.
Deve ter a ver com o Horta e C. "O Barão"

 
At 12:56 da tarde, Blogger Sininho said...

A.Leitão:
Que andou por aqui um anónimo que trocou os vês pelos bês, eu já tinha dado conta.
Quanto a mim...vou estudar o caso com mais atenção...

Abraço

 

Enviar um comentário

<< Home