3 Ecos da Falésia: Junho 2006

sexta-feira, junho 30, 2006

BEM HAJA

Bem haja, Senhor (ainda) Ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros.
Graças à sua demissão, conseguimos assistir a 20 minutos do Jornal das 15 h, na SIC Notícias, sem uma única referência a tricas futeboleiras, nem entrevistas de rua a adeptos piolhosos, o que é, a todos os títulos, fantástico.

Calcula-se que a intervenção cirúrgica, a que se refere, seja alguma correcção a fazer à coluna, que vinha sofrendo do mal de se curvar automàticamente, de cada vez que os seus ouvidos captavam a palavra ISLÃO.
O que, alegadamente, lhe estava a causar um desgaste e uma sensação de desconforto, absolutamente compreensíveis.

Os mais sinceros votos de rápida recuperação.

TLIM

terça-feira, junho 27, 2006

ELOGIO FÚNEBRE

Como é que o mais inspirado programa de humor da televisão Portuguesa acaba transformado em coisa falhada e sensaborona?

Durante 10 anos (e pode admitir-se que já é uma longevidade notável), o Contra Informação foi absolutamente genial. Os alvos visados foram aqueles que, por uma ou outra razão, se foram pondo a jeito. E correu a vez a todos, duma ponta à outra do espectro político e futeboleiro.
Quase sempre com uma graça irresistível, servida por excelentes textos, uma manipulação primorosa e um toque de génio na imitação das vozes. Tudo isso aliado a uma excelente realização e montagem.
Pior foi quando começaram a surgir os problemas laborais e a coisa começou a desandar de forma acelerada.
Quando o coração bate muito à esquerda, mas a cabeça funciona à direita, quase sempre dá mau resultado. Neste caso, ficámos todos a perder porque, ao actual Contra, parece já não haver quem o possa salvar.
Entrou, decididamente, em agonia: Lenta, mas irreversível.
De nada adianta manterem-no neste estado comatoso.
É preparar a família, encomendar o caixão e, depois, desligar as máquinas e fazer o enterro.

E que descanse em paz.

TLIM

terça-feira, junho 20, 2006

RETRATO DO MEU PAÍS

Esta é o retrato do meu País, tão amado.
Lindas cenas, no espaço FNAC:
Choros; crianças perdidas; desmaios; cenas de pugilato, entre damas e cavalheiros; palavrões; carteiristas em acção; a Polícia, chamada a intervir, de emergência; a Teresa guilherme, calada, tal o susto; a Floribela ( raio de nome) a dar de frosques, não fosse partir alguma unha.
E o Tio Balsemão, em casa, a esfregar as artroses, de satisfação.

Quanto ao outro Tio, o Moniz, será bom que se ponha a pau, senão esta Floribela ( raio de nome) ainda lhe come os Morangos na careca.

TLIM

segunda-feira, junho 19, 2006

O USO DAS CASAS DE BANHO NO LOCAL DE TRABALHO




Foi por estas e por outras que o Tribunal da Relação do Porto deu razão ao patrão acusado de controlar o tempo que os funcionários gastavam na casa de banho.

Realmente, assim não há trabalho que renda!!!

TLIM

UM PRESENTE APETITOSO

É já no próximo mês de Agosto, mais precisamente, no dia 15, que essa referência máxima do pluralismo e democracia, que dá pelo nome de Fidel Castro, perfaz umas 80 felizes Primaveras.
Ora, se para os aniversários é costume convidarem-se os amigos mais queridos, estes, por seu lado, tentam corresponder, o melhor que podem e sabem, com um presentinho, à altura.

Evo Morales, um dos eleitos e que nutre, por Fidel, uma devoção canina
- chamando-o, até, carinhosamente, "Abuelito sábio"- tratou logo de pôr os seus três neurónios a fervilhar, em busca de uma ideia que não o deixasse mal visto.
Numa alocução às massas, na cidade de Escoma, inaugurando um hospital financiado por Cuba, eis as suas palavras:
- "Como fomos convidados, porque não vamos, alguns de nós, à festa de aniversário e passamos o dia com o camarada Fidel?
Mas o que devemos levar-lhe, de presente? ( este Evo pede sempre a opinião do Povo)
Podíamos oferecer-lhe um "Poncho", ou podíamos dar-lhe um "Chicote" para gado. Os cultivadores de coca sugerem: Porque não levarmos um BOLO DE COCA a Fidel?
Assim, estes cultivadores irão levar-lhe o seu BOLO DE COCA!"
Aplausos delirantes da populaça esclarecida.

Agora, é esperar para ver se Fidel apreciará a ideia e se provará o bolo.
Se o fizer, talvez o seu povo tenha a grande sorte de assistir à maior maratona discursiva, com direito a página no "Guinness".
Mas a ideia do chicote também não era de se deitar fora:
O "Abuelito sábio" poderia usá-lo, em ocasiões especiais, quando precisasse de chicotear, pessoalmente, um ou outro opositor político que se tornasse demasiado inoportuno.

Voltando ao nosso amigo Evo:
Está na calha, com o apoio de Fidel e Chavez ( o Trio Maravilha), uma campanha internacional para a despenalização do consumo de coca.
Esta aplicação do produto, na culinária, pode bem ser o primeiro passo.
Aquela carola não pára.
Só ideias brilhantes.

TLIM

terça-feira, junho 13, 2006

COMBATER O STRESS

Situação:
1 - Aluno do Ensino Básico ( com 13 nos), faz queixinhas à família, porque a professora o mandou apanhar as cascas de laranja que ele tinha atirado para o chão.
2 - Família acorre à escola, indignadíssima e agride professora, na cabeça e na cara.
3 - Professora é socorrida pelo INEM.
4 - Aliviada do stress, família regressa à barraca, na Santa paz do Senhor.

Verificados, pois, casos recorrentes como este, cabe ao Governo, no sentido de os evitar, a distribuição de uns tantos "KITS - anti stress", a alunos stressados e respectivas famílias, antes de se dirigirem às escolas.

Versão em Português, como manda a CEE:
1 - Colocar sobre uma superfície dura.
2 - Seguir a indicação impressa no círculo ( bata aqui com a cabeça).
3 - Repetir até o stress desaparecer, ou até ficar inconsciente.

É remédio santo.

TLIM

segunda-feira, junho 12, 2006

NOVOS ENCERRAMENTOS

Recebida por E-Mail.

TLIM

domingo, junho 11, 2006

O POVÃO

Neste 10 de Junho, pese embora, a vontade do novo Presidente da República, de voltar a estabelecer uma ligação entre o Dia de Portugal e as nossas Forças Armadas, promovendo um desfile de 1.800 militaresl, o povão não esteve, para aí, virado.
Décadas de deliberado afastamento, provocaram uma inevitável desmotivação para acontecimentos deste tipo.
Que, ao longo de 32 anos, foram, pelos nossos Presidentes, considerados como lembranças penosas dos velhos tempos coloniais, sobre os quais, havia que passar uma borracha.
O 10 de Junho ficou, pois, quase limitado a dois ou três dicursos, seguidos do regabofe das condecorações a todo e qualquer bicho careta:
Desde a ridícula Comenda, imposta por Sampaio, ao barbeiro de Mário Soares, às, mais antigas, " Ordens da Liberdade" que foram enfeitar o peito a Palma Inácio ou Isabel do Carmo, duas almas, no mínimo, controversas que, a pretexto de lutarem contra o Fascismo, resvalaram, frequentemente, para o campo do delito comum.

E, hoje, na verdade, o povão já não quer saber de comemorações deste género.
Se o desfile tivesse sido dos ases da Selecção, ter-se-iam atropelado para alcançarem um lugar na primeira fila. Ter-se iam, mesmo, dado ao incómodo de passar uma noite, ao relento, em troca duma posição privilegiada, de onde pudessem fotografar, à vontade, os seus ídolos, com as câmaras dos telemóveis - último modelo.

Agora: Ver militares é que já não está a dar.
Alguns maduros, para quem o Carnaval é quando um homem quiser, lá se deram a esse trabalho, uma vez que para "gandas malucos" há, sempre, uma objectiva que espera por eles.
E aparecer na TV ou nos jornais, é, só por si, um objectivo de vida.
Mas foram poucos, muito poucos, os que, na manhã enevoada de Sábado, se deslocaram à Foz.
Preferiram ficar em casa, a ver uma emocionante entrevista de Abel Xavier.
As janelas dos prédios estavam, na sua maioria, fechadas. E, neste caso, as bandeiras primaram pela ausência. Estão reservadas para bairros mais populares e desfraldam-se, apenas, por amor à bola.
A maioria nem deve, mesmo, saber o que se comemora, neste dia 10.
Se é feriado, é tudo o que interessa, para rumar a outras paragens.

E é chatíssimo quando calha a um sábado, como foi, agora, o caso.

TLIM

sexta-feira, junho 09, 2006

ORAÇÃO BREVE

Nossa senhora de Caravaggio.
Nossa senhora de Fátima.
Cristo redentor.
Dai-me força, muita força, para aguentar o mês que tenho pela frente.
Que isto ainda agora começou e eu já estou que nem posso.

TLIM

O ENXUTO

O Padre Acílio Fernandes, responsável máximo das Casas do Gaiato, anda, desde ontem, nas bocas do mundo e não é pelos piores motivos.

Encontrava-se o Senhor Padre a conceder, amàvelmente, uma entrevista a um jornal, a propósito de umas calúnias sobre maus tratos, dentro da Instituição, quando um pequeno "emplastro" de seis anos, teimou, por várias vezes, em aparecer "na fotografia".
Cansado de o mandar retirar-se, sem ser obedecido, o Senhor Padre, que tem a mão leve, assentou-a na cara do petiz.

Grande escândalo, por parte do jornalista:
- "Então o Senhor deu uma bofetada à criança?"
- "Isto não foi uma bofetada" - retorquiu o Senhor Padre. -"Foi um ENXUTO. Eu só lhe encostei a mão à cara, para ele se ir embora. Não foi um mau trato, foi um bom trato.
Não me viu, antes, agarrá-lo ao colo, acariciá-lo e beijá-lo? Sabe quem faz isso? É um pai.
Nós, aqui, não somos directores, somos pais de família."

Bem diz o Rangel que o jornalismo anda pela hora da morte.
Escandaliza-se o homem com um simples "enxuto" e, depois, deixa passar em branco aquela do "agarrar-lhe ao colo", das "carícias" e dos "beijos"?
Só maçaricos.

TLIM

terça-feira, junho 06, 2006

O NÚMERO DA BÊSTA

Atenção:
Se hoje, pela manhã e antes de entrar no duche, tiver uma visão igual a esta, provàvelmente isso quererá dizer que você......é UMA BÊSTA.

TLIM

segunda-feira, junho 05, 2006

DIA MUNDIAL DO AMBIENTE



Lisboa, 5 de Junho de 2006 - 14 Horas - altura em que estas fotos foram tiradas.

Gosto imenso de ver e ouvir toda a gente, com o ar mais convencido do mundo, a perorar sobre este ou outros Dias Mundiais de Qualquer Coisa e, a seguir, espreitar pela janela e dar de caras com espectáculos como o das fotos acima.
Nada disto se passa na Cova da Moura, nem na Quinta do Mocho.
É no coração de Telheiras, no Parque dos Príncipes: Onde os apartamentos custam uma pipa de massa, os impostos autárquicos são altíssimos, as zonas verdes foram roubadas pela ganância de construtores, com o beneplácito generalizado de TODOS os Presidentes de Câmara, onde, enfim, alguns moradores se comportam, em termos de higiene urbana, como os seus concidadãos que têm o azar de morar num bairro de barracas.
Como dizia a minha avòzinha:
O que o berço dá, a tumba o leva.
E Deus Nosso Senhor lhes dê, a todos, muita saúde e muitos Dias Mundiais, para se entreterem.

Mudando de tema, mas à volta do dia:
E que tal brindarem, hoje, a todas as cegonhas, todos os linces, todos os morcegos, todos os lobos, todos os ratos, todas as cobras, todas as formigas, enfim: A todo o bicho-careta a que os Senhores Ambientalistas têm dado primazia, neste país, relegando para segundo plano os interesses reais das populações?
Aproveitem e mandem vir do "champagne" mais caro.
Podem, sempre, a seguir, aumentar impostos ou combustíveis, para contrabalançar.

TLIM