3 Ecos da Falésia: Maio 2006

quarta-feira, maio 31, 2006

NÃO DEIXEIS VIR A MIM AS CRIANCINHAS

Não estas, pelo menos.
Em Ovar, uma estudante do 12º Ano, admoestada por uma auxiliar, por estar a fumar, dentro da escola, negou-se a apagar o cigarro.
Vendo que este lhe iria ser retirado da mão, não esteve com hesitações e partiu para cima da funcionária "provocadora":
Mordeu-lhe um braço, arranhou-a e pregou-lhe uns valentes pontapés nas canelas, na presença de colegas e professores.
A ofendida apresentou queixa-crime, na esquadra da PSP local, contra a agressora, que já tem 18 anos.
A Presidente do Conselho Executivo da Escola Secundária Macedo Fragateiro - local dos pitorescos eventos - declarou que:
-"Estão a ser tomadas medidas para que o mesmo não se repita".

Ora, para que não se repita, o aconselhável talvez seja proceder à transferência da tal funcionária que se mostrou zelosa, em demasia.
Uma vez que, adoráveis meninas, como esta, ninguém pode expulsar. Podiam ficar com algum trauma, coitadas.
E, estando, ainda bem frescas aquelas imagens edificantes, obtidas por câmara oculta, em escolinha de delinquentes, perguntamos nós, também, o que foi fazer a GNR para Dili, em vez de ser destacada para locais como este, tentando (eu disse TENTANDO) impôr, ali, a ordem.

Falei na GNR? Devia ter dito o GOE (Grupo de Operações Especiais) que isto já não vai lá com menos.
É como dizia o outro: Ràpidamente e em força... para as escolas, a fazer frente aos monstrinhos, antes que cresçam e tomem conta do País, estimulados por uma mão-cheia de psicólogos, por uns tantos pedagogos iluminados e pela compreensão paternal de tanta boa alma, que se afligiu imenso com as imagens colhidas sem o conhecimento dos pequenos.

TLIM

A INVASÃO DAS TRAÇAS GIGANTES

Depois das pragas do Carrilho, do Mundial e dos mosquitos à beira-mar, eis que surgem, para nosso grande pavor, umas traças grandalhonas, da espécie "Gamma", que atacam depois do anoitecer.
Janela aberta, à conta do calor, mais uma luzita acesa e aí está o convite feito aos pouco simpáticos bicharocos.
Felizmente, os tecidos não constam do seu menu, ou teríamos o guarda-roupa completamente lixado, dado o tamanho das suas boquinhas.
São os dejectos da criatura e o pó das suas asas que provocam alergias respiratórias e de pele.
Assim:
Se tiver um encontro do terceiro grau, com alguma, não lhe faça festinhas nem apanhe as suas caganitas com a mão.
Ah... isto é mesmo a "silly season" a chegar...

TLIM

terça-feira, maio 23, 2006

PROGNÓSTICO RESERVADO


Dizem que imagens como esta, lhe surgem, recorrentemente, nos piores pesadelos, como berço da ignominiosa cabala.
O tique dos polegares cravados nas bandas do casaco, torna-se, dolorosamente, mais e mais frequente.
Aumentam as manifestações de delírio e a incontornável mania de perseguição.
Ficar, durante muito tempo, longe de um espelho é, já, pràticamente impossível.


O prognóstico é, pois, reservado.

TLIM

PEDRA METEOROLÓGICA

TLIM

domingo, maio 21, 2006

SETE PRIORIDADES

Vai para um par de meses, soubémos do adiamento da construção de uma estrada, porque o seu traçado atravessava uma colónia de.......RATOS.

Antes, já tinha ocorrido caso semelhante, em que não se quis perturbar uma outra colónia de........MORCEGOS.

Temos, agora, pela frente, o desvio do traçado da A 24, entre Viseu e Chaves, que poderá custar ao Erário Público a módica quantia de 150 MILHÕES de Euros.
As alterações implicam a construção de um viaduto, com 1.350 metros de extensão, mas a sua localização, sobre uma ravina, obriga a uma altura equivalente a um prédio de 30 andares.
E tudo isto porquê?
Ora, porque, cá por baixo, circulam, alegremente, SETE simpáticos LOBOS, que não podem ser incomodados. Com a balbúrdia das obras, até eram capazes de passar a ter problemas de insónias, ou assim.
Contas feitas, cada animalzinho vai custar ao erário público 21 MILHÔES, 430 MIL Euros, mais coisa, menos coisa.
Sabendo-se, como se sabe, que uma obra para o Estado, nunca sai pelo preço orçamentado, nem se calcula onde isto irá parar.

O Senhor Ministro Iberista, entretanto, não faz declarações porque o processo da A 24 "está a decorrer dentro dos parâmetros normais".

Fecham-se, assim, maternidades, escolas, correios, ou o que for, porque não há verba para os manter, sejam lá os motivos que se possam arranjar, em guisa de justificação.
O que ficamos, com isto, a perceber, é algo de que já suspeitávamos:
Que, entre um LOBO ( ou um RATO) e um HUMANO, habitante de uma qualquer região periférica, o LOBO ou o RATO, terão sempre PRIORIDADE ABSOLUTA.

Bem hajam.

TLIM

A MAIS BELA BANDEIRA

Não foi preciso mais do que uma para fazer "a mais bela bandeira do mundo".
Mas houve outras 30.000 que acorreram ao Jamor, na foçanguice de entrarem no Guiness.
E só deram oportunidade a cerca de 18.000, por questões de segurança.
É a malta Portuga, no seu melhor.

Agora: O que agradeceríamos imenso era que amordaçassem a Dulce Pontes, de uma vez por todas, a ver se o Hino deixava de ser assassinado.

TLIM

terça-feira, maio 16, 2006

"UM HINO À COMÉDIA E AO HUMOR"

Com estas palavras, foi o filme apresentado, na Imprensa.
De Luis Pedro Nunes, ouvi o elogio que me levou ao Alvaláxia, à única sala, em Lisboa, que o exibia, nessa tarde, para quatro espectadores, eu incluída.
Quanto ao cartaz que anuncia "no nudity, no violence, unspeakable obscenity", deveriam ter omitido o "no violence": Já que, ali, somos sujeitos a uma inominável violência verbal que, por comparação, transforma um Fernando Rocha, ou um Herman José em inocente menino de côro.

Do que se trata? É, mais ou menos assim:
Os realizadores Paul Provenza e Penn Gillette agarram num naipe de bons e conhecidos comediantes e põem cada um deles a interpretar, à sua maneira, o que eles chamam de número de "stand up", supostamente, perante um empresário do Show Business.
No final de cada obsceno relato, à pergunta -"E como é que se vai chamar esse número?"- o actor responde: - "Os Aristocratas." E deve ser suposto pôr-nos a rir, perdidamente, com o título que deu às enormidades que acabou de descrever.
Cada actor traz uma sucessiva e pormenorizada descrição de situações, as mais repugnantes, da pedofilia à bestialidade, com fezes e outros fluídos, à mistura, consoante a respectiva criatividade.

Aguentei, meia hora, estòicamente, sem chegar a ver a prestação de Robin Williams e, se calhar, ainda bem.
Deve haver alguma explicação para se fazer um filme daqueles, exibi-lo num cinema normal e obter apreciações elogiosas da crítica.
Mas é coisa mais para psiquiatra, digo eu.

Arrependo-me é de não ter exigido a devolução do preço do bilhete, embora correndo o risco de ser chamada de puritana.

TLIM

domingo, maio 14, 2006

SOB O SIGNO DA VAIDADE

Esta capa fez parte "da mais brutal campanha negativa, feita no Portugal Democrático".

Marcelo Rebelo de Sousa é um exibicionista.
Clara Ferreira Alves é uma Santanete, cuja verticalidade é periclitante.
Ricardo Costa é um chantagista e um mentiroso.
Manuel Salgado vive de expedientes.
António Cunha Vaz é um mafioso.
Carmona Rodrigues é o rei dos cínicos.
Os Órgãos de Comunicação Social Portugueses só são comparáveis às Polícias Políticas dos Países de Leste.
Etc, etc, etc.
Pois.
Existem três palavrinhas, na Língua Inglesa, que definem na perfeição o Senhor Professor Manuel Maria Narciso, digo, Carrilho:
A POMPOUS ASS.
Que é como quem diz: Uma besta enfatuada.
Lá me excedi. Paciência.Fiquei mais aliviada.

TLIM

terça-feira, maio 09, 2006

OPÇÕES

Se o Presidente de um qualquer Município verificar que a água da rede de distribuição não está capaz para o consumo, o que deve fazer?
Procurar tratá-la, tornando-a própria para ser bebida pela população, ou decretar que, em face do problema, a solução é acabar com a água canalizada e o povo que vá buscá-la a outra freguesia, quando precisar?

É mais ou menos esta a posição do nosso estimável Ministro da Falta de Saúde, que temos:
Decidindo pelo encerramento de várias maternidades, centros de saúde, lares de terceira idade, hospitais e por aí fora, em geito de "quero, posso e mando", quando afirma que faltam condições e técnicos, o que está, implìcitamente, a dizer, é: -Faltam, mas não há verba para os arranjar.
Portanto, fecha-se.
Danem-se as parturientes, os velhinhos e os doentes que têm o azar de viver onde não devem.

Que o Governo está nas encolhas, já toda a gente percebeu.
O que ainda está por perceber é porque bulas não pode haver gastos com estas minudências, enquanto se pagam balúrdios em estudos, sobre estudos e em projectos sobre projectos, para empreendimentos grandiosos que não verão, nunca, a luz do dia, porque, empregando os "boys" ou "girls", da ordem, servem apenas e só, à mais refinada e pura propaganda a que se tem assistido, nos últimos tempos.
E, já agora, vinda dos mesmos que tanto alarido fizeram, à conta de meia dúzia de cartazes da Câmara de Lisboa, ao tempo de Santana Lopes.

TLIM

FALHA IMPERDOÁVEL

O album de fotografias, divulgado pelo Palácio de Buckingham e assinalando o 80º aniversário da Raínha Isabel II, não inclui, por expressa indicação desta, qualquer foto da "nova" Duquesa da Cornualha.

Que dizer desta falha imperdoável?

TLIM

segunda-feira, maio 08, 2006

ESTA VIDA É UMA CANSEIRA

Começa, um homem, a planear a sua vidinha, com uns quantos anos de antecedência. Vai fazendo das tripas coração, inflectindo, aqui e além, nas suas convicções ideológicas, arranjando aliados (ou assim o pensa), em várias hostes consideradas, antes, como inimigas. Chega, mesmo, a ver o seu retrato ser retirado da Galeria, coisa que lhe deve ter sido um tanto penosa.
Sujeita-se a ser elogiado por Louçã e Gerónimo.
Aceitando ser Ministro, atura, de cara alegre, as caturrices e o mau feitio de Sócrates.
Dá tudo por tudo para ser encarado como um homem de Esquerda.
E vai daí, quando chega o momento da verdade...Zás:
Vem de lá o outro, a impôr-se, outra vez, ao Partido e adeus, que se vão todas as esperanças girando, tristemente, pelo ralo abaixo.

Há, pois, que engolir o sapo, em seco, fingir que se fez bem a digestão e esperar durante algum tempo, deixando assentar a poeira.
Mas, que diabo: Um homem não é de ferro e, mais cedo do que era suposto, começam a surgir certos problemas de coluna, sequela, aliás, perfeitamente previsível, depois das constantes e exageradas vénias, perante o Islão.
Segue-se o cansaço de andar, constantemente, de Herodes para Pilatos, a fazer fretes por conta de quem não soube dar-lhe o devido valor.

Para cúmulo, aparece um pasquim desclassificado, que quase ninguém lê, a escarrapachar, com o maior TOPETE e logo na primeira página, a notícia do citado cansaço.
Lá está: É mais um evidente sinal da tão badalada FALTA de CONTENÇÃO, por parte desta desbocada Imprensa tabloide que, desgraçadamente, o Senhor ministro é obrigado a suportar.
Até quando, é o que estamos para ver.
Não perca os próximos e excitantes capítulos.

TLIM

terça-feira, maio 02, 2006

DIÁLOGO AMIGÁVEL

Zapatero:
- Me gusta tu "pull-over".

Evo Morales:
- Me gusta tu REPSOL!!

TLIM

MANDA QUEM PODE

António martins, o Presidente da Associação Sindical de Juizes, ameaça processar o Governo, por causa do regime de congelamento das carreiras ( lei 43/05 de 29 de Agosto).
Os Senhores Magistrados Judiciais exigem "ficar de fora da lei", ou então, farão sentar o Ministério da Justiça, no banco dos réus, como forma de verem reconhecidos os seus direitos.

E, nesta situação extraordinária, de duas uma:
Ou o Governo está a fazer as coisas de forma ilegal e, merecendo que lhe apertem os calos, será obrigado a emendar a mão e a agir, segundo as leis que nos regem - e isto aplica-se às decisões que abranjam TODOS os funcionários do Estado - ou está a actuar dentro da legalidade e estes Senhores, sendo JUIZES, decidem que o que é válido para os outros, não é válido para SI.
Chapelada e vénia.

É, realmente uma delícia, fazer parte de uma sociedade, dita democrática, em que aqueles que decidem, nos tribunais, a nossa sorte, venham, agora, exigir, com a maior desfacatez, que A LEI SÓ SE APLIQUE AOS OUTROS.

TLIM

segunda-feira, maio 01, 2006

O FOGUETÓRIO

Eu ainda estou para saber de que profundo recôndito, da alma Lusa, brota, de tempos a tempos, este exacerbado fervor pelo foguetório.
Todos os anos, à conta dele, há a registar uns tantos mortos e feridos, muitos deles, crianças.
Ainda ontem, em Vale da Trave (Santarém) não houve quem os travasse e, quando um conjunto de foguetes rebentou, simultâneamente, lá foram mais três parar ao hospital.

E, mesmo em época de incêndios, pode o Senhor Ministro António Costa decretar, à vontade, a sua proibição, que haverá, sempre, um número elevado de adeptos da desobediência cívica, mesmo não tendo frequentado, com aproveitamento e distinção, aqueles cursos especializados do Bloco de Esquerda.
A propósito, o próximo é já em Julho e, a quem possa interessar, podem, aí, aprender-se a fazer boicotes, ocupação de espaços públicos, resistir a uma agressão policial, enfim, qualquer técnica de desobediência civil.

Adiante:
Neste último fim de semana, estava eu, supostamente, posta em sossego, na simpática vila piscatória de Sesimbra, preparadíssima para umas preguiças matinais, quando, às 8 horas da manhâ de Sábado, acordei, de chofre, com o coração a saltar-me pela boca, mercê do estrondo dum morteiro que parecia ter rebentado por cima do telhado.
Seguiram-se uns tantos foguetes, intercalados com mais morteiros, até ser absolutamente garantido que nem uma única alma se tinha safado ao despertar obrigatório.
Há, lá maneira mais bonita de abrir os olhos, pela manhã?
Bem sei que, ali, não há perigo de incêndio, uma vez que os foguetes são dirigidos para o mar.
Mas, talvez devido à minha condição de "urbana", nada e criada, aquele estrondear não consegue senão provocar-me uma desagradável sensação de desconforto e irritação.

Agora: Se o mesmo se passa em todos os pequenos Municípios do País, nesta altura do ano, o que dizer deste, que, logo à frente, tem um autarca com o nome de AUGUSTO PÓLVORA?

TLIM