3 Ecos da Falésia: Novembro 2007

sexta-feira, novembro 30, 2007

DA CARCAÇA AO CAFEZINHO





Estimando-se que a ASAE, quando chegar o final do ano, terá conseguido a invejável proeza de encerrar 80,4% dos restaurantes e tasquinhas nacionais, 93,7% de lares da terceira idade e feito a razia completa de tudo o que é considerado como venda ambulante, o governo tem já na calha nova legislação relativa ao tempero e ingredientes de vários tipos de alimentos confeccionados e postos à venda, dos quais, o pão será o primeiro a sofrer modificações.
É, dizem uns entendidos, "obscenamente salgado".
Corremos assim o risco de a humilde carcaça se vir a tornar totalmente ensossa.
"Se o sal, antigamente, tinha como principal finalidade a conservação dos alimentos, nos dias de hoje, com a invenção dos frigoríficos e arcas congeladoras, já não se justifica o seu emprego na preparação do que comemos."
Esta foi atirada para o ar por um ilustre convidado do "Opinião Pùblica" na SIC Notícias.
.
E ai a tensão arterial, ai os AVCs, ai os enfartes, ai as doenças renais e ai desgraçados dos nossos avós que nem sei como sobreviviam sem a ajuda destes gurús.
.
Pois então: O governo estará em vias de criar a nova profissão que é a de "Provador oficial da ASAE".
Começa por provar o pão que por aí se vende e espera-se que venha a provar, a seguir, todos os restantes alimentos servidos em restaurantes, cafés, pastelarias, roulottes e tasquinhas.
Sobretudo, muito olho nas tasquinhas.
O objectivo é tornar a gastronomia portuguesa pelo menos tão desenxabida como a dos países do norte da Europa.
Pode ser que depois a imprensa inglesa passe a respeitar mìnimamente a nossa PJ.
Essa é a primeira fase.
Na seguinte, começarão a vir provar a comidinha que fazemos em nossas casas.
Quando tocarem, simultâneamente, às campaínhas de todos os andares cá do prédio, não há que ter dúvidas: ou é publicidade, ou são os senhores da ASE.
Fixe.
E, se ainda não sabia, fica já a saber que a partir de Janeiro, se optar por se instalar numa esplanada, não voltará a poder beberricar o seu chá, café ou laranjada em chávena de louça ou copo de vidro.
Três vivas ao belo copito de plástico que é tão higiénico (assim não seja reutilizado)!
Há quem receie que o plástico aquecido possa causar danos à saúde (ver artigo "Perigos do cafèzinho).
.
Ora que se lixe! Não se pode ter tudo.
.
.
********************************************************************************
Etiquetas: Normas da UE, sal e... também tu, minha carcaça???

quarta-feira, novembro 28, 2007

PRÉMIOS


Mais um prémio veio aqui parar aos trambolhões, enviado pela Maria.
No coments. Ela consegue ser ainda mais teimosa do que eu, o que já diz muito.
O de hoje é suposto ser atribuído a "UMA MULHER QUE FAZ PENSAR".
.
1 - Eu faço?
2 - Em caso afirmativo, os pensamentos suscitados são bons, maus ou nem por isso?
3 - São preferíveis os bons pensamentos ou os maus têm muito mais interesse?
4 - Pensar no Luís Amado, por exemplo, é um bom ou um mau pensamento?
5 - Como é que a pessoa que me atribuíu o prémio tem a certeza absoluta de eu ser, efectivamente, uma mulher???
6 - Hã?
.
Se, agora, alguém se deu ao trabalho de parar uns segundos perante estas dúvidas existenciais, talvez eu tenha conseguido fazer pensar um bocadinho.
E, já de seguida, passo a bola a 5 outras mulheres, cujos blogs tornam a minha vida diária mutíssimo mais agradável.
As meninas que se ponham em posição, que lá vai (por ordem alfabética):
CARLOTA
CRIS
GI
MANHÃ
MARIA
Já sabem todas como isto funciona pelo que me escuso a detalhes fastidiosos.
Uma vez mais vou esforçar-me por colocar o logo na margem do blog, sem qualquer garantia de ser bem sucedida.
Existem dois já na bicha para entrar e que não há maneira de se resolverem.
A ver se este é mais pacífico.
.
Pronto, Maria. Já está. E muito obrigada, mais uma vez.
.
.
******************************************************************************
Etiquetas: Prémios, mulheres e como se criam laços na net.

segunda-feira, novembro 26, 2007

DESRESPEITOS A MANETAS




Mário Rodrigues, o funcionário da Escola Leonardo Coimbra que terá tentado agredir professores e colegas com um machado, regressou ao local de trabalho e explica à SIC que não foi bem assim que as coisas se passaram:
-"Eu nunca quis agredir ninguém. Mas todos os dias me tratabam mal. Era de maneta, era de filho disto, filho daquilo, corno, boi... Nunca hoube tentativa de agressão a ninguém!"
-"Só foi buscar o machado para a eventualidade de ter de se defender" - ajudava a entrevistadora.
-"Pois! Foi quando apareceu o chefe da secretaria por trás de mim, deu-me um murro no braço esquerdo, onde eu tinha o machado, e me chamou também nomes.
O processo disciplinar, bamos ber o que é que bai dar, eu estou conformado a receber entre aspas o castigo, para mim já foi castigo estar 7 meses cá fora, isto é a minha segunda casa. Eu entrar na escola e ber aquela manifestação de miúdos, todos contentes e não só... Eu bou pró café, bou tomar café ao meio dia, há mais alunos, há abós de alunos, força que o sinhor não está sòzinho e ai deles que o tirem daqui da escola
!"
.
E foi no entusiasmo do apoio ao senhor Mário que vários menores partiram, à pedrada, três vidros da escola, na passada sexta-feira.
Comovente.
E uma bela lição para quem anda por aí, impunemente, a chamar "filho disto e filho daquilo" a qualquer um, ainda por cima, maneta.
.
.
*********************************************************************************
Etiquetas: Escolas, segurança e insultos a manetas.

sexta-feira, novembro 23, 2007

PAUSA TÉCNICA


Vou dar uma trégua de três dias à maledicência.
Antes que a areia escorra completamente, estou de volta.
.
BOM FIM DE SEMANA
.
.

quarta-feira, novembro 21, 2007

O OVO OU A GALINHA?


Começa a assistir-se por cá ao calar de vozes incómodas para o prestígio dos MacCann, enquanto a SIC tenta vender a ideia de que "OMO e Clarence Mitchell-lavam mais branco" e o senhor director da PJ vem ajudar à festa, manifestando públicas incertezas sobre o andamento do processo.
Registamos.
Também já deixou pràticamente de se falar nos últimos resultados forenses que continuam retidos no laboratório inglês, talvez à espera de levarem o mesmo destino de alguns registos de contribuintes de sua Majestade: O sumiço puro e simples.
A seguir, temos aqueles magníficos detectives espanhois que conseguem arranjar uma testemunha ocular que se cruzou com a namorada de Robert Murat em Marrocos, levando a Maddie ao colo.
E é então que, como quem não quer a coisa, aparece no Daily Mail a extraordinária comparação do boneco descrito pela Dona Jane Tanner com...uma fotografia da supracitada namorada, a alemã Michaela Walczuch.
.
Parafraseando as meninas do anúncio da TVCabo,
"há coisas fantásticas, não há?"
E só por desfastio:
Vai uma aposta sobre qual apareceu primeiro?
.
.
*****************************************************************************
Etiquetas: Retratos robot, campanhas e espíritos iluminados

segunda-feira, novembro 19, 2007

LIXO


Ó LIXO, Ó QUE LINDO LIXO,
Ó LIXO DA MINHA CIDADE,
O MEU LIXO É O MAI LINDO
POSSO DIZÊ-LO À VONTADE.
***
POSSO DIZÊ-LO À VONTADE,
AQUI E A QUALQUER HORA,
Ó LIXO Ó QUE LINDO LIXO
QUE NÃO SAI DAQUI PRA FORA.
***
EU GOSTO MUITO DE VER
E AINDA MAIS DE INSPIRAR
O LIXO, ESTE LINDO LIXO,
QUE NINGUÉM QUER DESPEJAR.
***
NÃO M'INVEJO DE QUEM TEM
BELOS TOMATES NA HORTA,
SÓ M'INVEJO DE QUEM VÊ
MAIS LIXO AO PÉ DA PORTA.
***
FUI À RUA PASSEAR,
ESTAVA UM LULU AGACHADO,
A DEIXAR UM PRESENTINHO
NO DEGRAU AQUI AO LADO.
***
À NOITE, AO SAÍR DE CASA,
IA EU, RUMO AO VIDRÃO,
ESCORREGUEI NA PORCARIA
E FUI DE VENTAS AO CHÃO.
.
************************************************************************
Etiquetas: Cancioneiro popular alentejano, ar puro e como é porreiro viver numa cidade com nome de Tratado.

sábado, novembro 17, 2007

DICAS PARA O MINISTÉRIO DOS NEGÓCIOS ESTRANGEIROS



O Coronel Muamar al-Kadhafi vai dar-nos a honra da sua presença em Lisboa, entre 6 e 9 de Dezembro para participar na II Cimeira UE-África.
Ora o senhor Coronel não gosta de hotéis; prefere o conforto familiar da sua tendazinha particular que vai trazer consigo, mais uma comitiva de, aproximadamente, 400 pessoas, mais cavalo menos cavalo.
.
Embora eu não tencionasse postar no fim de semana, afligiu-me a indecisão do MNE quanto ao local destinado à tenda de sua Excelência, pelo que resolvi cumprir o meu dever cívico de apresentar 4 sugestões.
.
A)- ESTÁDIO DO SPORTING CLUBE DE PORTUGAL.
Vantagens:
Bom espaço, bonita decoração exterior, relativamente perto do Carrefour e do Colombo para a compra de eventuais lembranças.
Boa possibilidade de orientação da tenda na direcção de Meca.
Balneários para as abluções.
Os cavalos poderiam escavacar a relva à vontade, que, no fim, seria integralmente substituída (e paga pelo erário público) criando-se para tal o IERK - iMPOSTO para a RELVA do KADHAFI.
O clube agradeceria.
Inconvenientes:
O possível condicionamento do trânsito na zona circundante e 2ª circular, o que não me convém nada.
.
B)- PARQUE DE MONSANTO.
Vantagens:
Grande zona verde ainda com mais espaço do que a hipótese anterior.
Ar supostamente mais puro. Igual facilidade na orientação da tenda.
Muitas árvores para atar os cavalos.
Meninas de várias nacionalidades para jogos familiares com os membros da comitiva. Meninos também se arranjam.
Inconvenientes:
Pouca iluminação à noite.
Eventuais desaguisados com a chularia local que poderia passar a regatear os preços com demasiada frequência.
Possibilidade de um ou outro cavalo ser alvo de "horse-jacking".
.
C)- COVA DA MOURA:
Vantagens:
Seria talvez o local onde o nosso ilustre visitante se poderia sentir mais "em casa".
Muita gente hospitaleira e professando a mesma religião, muita circulação de armas, embora de calibre diferente daquelas a que está habituado, facilidades na aquisição de produtos "relaxantes" ou "estimulantes", conforme a preferência de cada um.
Inconvenientes:
Pouco espaço para os cavalos.
Pouca água para as abluções.
Pouca privacidade.
Poucas zonas verdes.
.
D)- TERREIRO DO PAÇO:
Vantagens:
Espaço amplo em zona nobre. Boa orientação para Meca.
Vista única para o Tejo.
Muita água para as abluções.
Muita água para os cavalos.
Facilidade de utilizar o rio para lançar dejectos ou restos de comida (com a percentagem de coliformes fecais que lá navegam, mais uns tantos não vão fazer diferença).
Zona já com experiência de ser vedada ao trânsito.
Bom local para amarrar os cavalos
Inconvenientes:
Não tem relva.
Não tem zonas verdes. Existe a possibilidade de algum cavalo sofrer um acidente devido ao mau estado do pavimento.
******************************************************************************
Segue cópia para o Ministério, mais os necessários duplicados.
.
Todos os cidadãos deveriam apresentar as suas sugestões e ajudar o Governo neste momento difícil.

sexta-feira, novembro 16, 2007

Porque no te callas

A ver se não é desta que me fecham o blog...

E tenham um bom fim de semana.

quarta-feira, novembro 14, 2007

MAIS UM DESAFIO

Tenho o computador instalado no chamado "quarto dos netos".
Entre a cómoda e uma estante onde se empilham, anàrquicamente, livros infantis, alguns romances, poesia, cassettes gravadas, dvds, albuns de fotografias, revistas ProTeste, fascículos coleccionados de jornais antigos, enfim: uma razoável miscelânea que tento manter o menos desarrumada que posso mas sem qualquer êxito.
.
A introdução serve para que se entenda a resposta que vou dar, aqui, a um desafio lançado pela GI, nos seus PEQUENOS NADAS.
"Abra o livro que tenha mais à mão, na página 161. Retire a 1ª frase completa da 5ª linha. Escreva-a no seu blog e passe o desafio a outros 5 bloggers."
.
A GI é mais do que uma querida que, de vez em quando, se lembra de me nomear para que eu dê continuação a uma "cadeia" ou "corrente" ou como queiram chamar-lhe.
E é como nas velhas aulas de educação física: Insiste, insiste, insiste...
Uma pessoa olha, buscando desesperadamente um cantinho para se esconder, mas é escusado. Ela tem visão de águia e faro de cão polícia inglês.
Não lhe escapamos.
Daí que não tenhamos outro remédio senão baixar a cabeça e OBEDECER (logo eu a quem a palavra sempre provocou comichões...)
.
Fecho os olhos e estico a mão para a estante. É assim, não é?
Cá está. Livro de capa dura. 192 páginas. Serve.
Página 161. 5ª linha:
"Deite o vinho tinto e deixe-o evaporar..."
.
Hmmmmm, aposto que ficou tudo desapontado com a "literatura" que tenho à mão de semear.
«ESCOLA DE COZINHA - Peixes, Mariscos e Arroz».
Há outros três da mesma colecção, mas em parte incerta.
.
Quem por aqui passar, sinta-se à vontade para aceitar o mesmo desafio e publicar no respectivo blog a frase que lhe calhar em sorte.
.
Desculpa minha querida Gi.
É no que dá uma pessoa não fazer batota...




******************************************************************************
Etiquetas: Desafios, livros e frases adequadas a um programa do M.L.Goucha.

segunda-feira, novembro 12, 2007

SÃO MARTINHO EM LISBOA


Um dos nossos orgulhos nacionais - o assador de castanhas maior do mundo, certificado pelo Guinness World Records - viajou de Vinhais até ao Terreiro do Paço alfacinha para comemorar o primeiro São Martinho oferecido ao povo pela nova edilidade.
Duas toneladas de castanha e uns copitos de vinho ( não produzido pelas vinhas da tapada da Ajuda) esperava-se que viessem alegrar um Domingo soalheiro passado na nossa praça mais emblemática, túneis àparte.
.
Marcava o relógio do arco da rua Augusta 15 horas, quando mais de 400 pessoas iniciaram a aproximação à fogueira crepitante.
Empurrão daqui, cotovelada dali, «Ó Nelson, vê se passas aí para a frente e não me deslargues!» - bradou a Dona Lizete, no tom treinado à semana no mercado de Arroios.
As mãos já tinham tirado dos bolsos os sacos Feira Nova e Continente preparados para encher e levar para casa.
Foi o sinal.
A gentinha ali à volta, inquieta pelo início do assalto, iniciou uma competição fezoz pelo direito à castanha.
«Ai que vergonha, gananciosos!» - gemia uma senhora baixinha, de bebé a tiracolo que já nem se atreveu a avançar.
Alguns estrangeiros que assistiam atónitos à movimentação popular, captavam imagens digitais da cena para mostrar depois aos seus conterrâneos, a ilustrar o grau de civismo dos lisboetas.
Oh dear, oh dear» - murmurava a senhora de cabelo branco, levantando-se do chão, após valente escorregadela em poça de vinho tinto, entornado na calçada.
.
Ao final da tarde e depois da debandada geral, ficou um tapete de cascas e castanhas pisadas, garrafas de plástico, sacos de supermercado e copos de papel amassados.
.
Mas, prontos, dirão os mais compreensivos: não é para isso que pagamos contribuição autárquica?
.
.
********************************************************************************
Etiquetas: Tradições, urbanidade e lindas figuras.

sábado, novembro 10, 2007

SUSPIRO ÁCIDO



Em cada ano que passa, são vários os casos de pessoas com as goelas queimadas à conta da ingestão de ÁCIDO que se encontrava - por desleixo ou ignorância - dentro duma inocente garrafinha de água.
Normalmente, as vítimas nunca conseguem provas suficientes para condenar o responsável ou responsáveis.
O último caso de que me lembro foi o de um garotinho de 3 anos, cujos pais estavam a fazer compras numa loja.
A criança saíu para o pátio ao lado, pegou numa garrafa bem ao seu alcance e levou-a à boca que ficou logo queimada.
Os pais descuraram a vigilância devida ao filho; mas uma garrafa de água com outro produto (tóxico) não podia estar ali, como estava.
O juíz que avaliou o caso considerou que o dono da loja não era responsável pelo acidente.
Invariàvelmente, ou não se conseguem provas incriminatórias suficientes, ou os senhores juízes são condescendentes e o crime fica impune.
Preferem deixar no ar a suspeita sobre a marca da água.
.
Agora, a rifa saíu a uma médica.
Na madrugada do dia 21 de Outubro e depois de jantar no restaurante que funciona no edifício da Ordem dos Médicos de Lisboa (conhecido familiarmente por "Suspiro" devido ao apelido dum empresário que o explora) a senhora sentiu sede e pediu água.
A garrafa que lhe trouxeram trazia um líquido corrosivo e incolor, usado na limpeza de restaurantes e cafés.
Chamado o INEM, lá foi a acidentada de charola para o hospital de Santa Maria, onde ficou internada vários dias.
.
Ora nem esta médica é inglesa nem consta que seja amiga do primeiro ministro.
Em todo o caso, parecendo que não, talvez agora se tome alguma medida que vise dificultar estes AZARES.
Tanto que o director-geral da Saúde, segundo declarou o bastonário da Ordem, já ponderou criar uma directiva visando obrigar à "tintagem" do tal líquido perigoso que é incolor como a água.
Lá no "Suspiro" talvez comecem a ser mais cuidadosos.
.
Enretanto nós, cidadãos incautos, continuaremos a confiar na Virgem (ou, com sorte, na ASAE) para que nos proteja de tanto mixordeiro de quem somos clientes e que, num dia aziago, nos pode despachar para uma cama de hospital.
.
.
*********************************************************************************
Etiquetas: Reaproveitamento de garrafas e péssimos hábitos.

quinta-feira, novembro 08, 2007

INGENUIDADES


Uns ingénuos do Hygiene Council descobriram agora que, por cá, o pessoal é pouco amigo de lavar as mãos antes de comer ou depois de se servir da casa de banho.
.
Não percebo a admiração.
Esse pessoal é o mesmo que também não lava os dentes, não toma banho, não apanha o cocó do cão que leva à rua, não respeita o código da estrada, estaciona onde lhe dá na veneta, empurra para passar à frente, deita fogo às matas por descuido, insulta os outros condutores, exala núvens de fumo para a cara de quem come ali ao lado, bate na professora do filho, joga futebol por cima das pessoas que estão na praia, enche a areia de beatas, incomoda os vizinhos com o som da televisão, faz orelhas moucas a quem lhe dá as boas tardes na sala de espera do consultório, deixa o carrinho de supermercado a atravancar a passagem, deita a garrafa de água vazia pela janela do carro, despeja o cinzeiro desse mesmo carro no passeio, desconhece as expressões "se faz favor / desculpe / obrigado", desrespeita os mais fracos, ocupa os lugares reservados nos transportes públicos e nunca se levanta quando deve, acende o cigarrinho no metro, coça o ouvido com a unhaca, arrota alto e bom som (para já não citar outros desabafos), usa o palavrão indiscriminadamente, abafa material do escritório, não usa o autoclismo...
.
Estaria aqui até de madrugada se quisesse maçar-vos mais.
E então, para que diabo iriam tipos destes lavar as mãos antes de ir para a mesa?
Se depois as vão engordurar com as asinhas do frango assado com desvelo pela dedicada mulherzinha, essa que já está até habituada a levar a sua galheta em dia de derrota do clube?
.
A seguir, as mãos limpam-se às pernas das calças, que ela já tem ali uma bacia de OMO pronta na cozinha, para as pôr de môlho.
.
25 por cento, dizem eles, são os relapsos?
Essa será a percentagem dos que CONFESSARAM.
Convém não esquecer que, a todos os maus hábitos atrás referidos, deverá juntar-se o de mentir descaradamente.
.
.
.********************************************************************************
Etiquetas: Tugas, higiene e adeus minhas encomendas.

terça-feira, novembro 06, 2007

TERCEIRA IDADE


Um passeio de IDOSOS que correu mal.
Tinham todos entre 60 e 70 anos, disseram todos os jornalistas.
Que correram a catar nos arquivos o que lá houvesse no capítulo de acidentes graves com IDOSOS.
Atropelamentos era o que não faltava. E em Entre-os-Rios também se ficaram vários.
Por acaso ainda não se lembraram dos casos de contra-mão mas certamente alguém haverá que os recorde nos próximos dias enquanto o assunto der para esticar.
.
Se estes passageiros fossem negros, judeus, ciganos ou homosexuais e isso fosse referido nas reportagens, aqui d'el rei, que era uma discriminação.
Mas IDOSOS não têm quem fale por eles, apesar de serem discriminados todos os dias, nas mais variadas circunstâncias.
Não vale a pena.
Basta em tempo de campanhas eleitorais.
Acabadas essas, alto aí e pára o baile.
O certo é tratá-los com um certo paternalismo condescendente, pancadinhas nas costas e dialogar com eles como se todos fossem imbecis.
O que ainda é preferível aos maus tratos a que muitos são sujeitos por esse país fora.
.
E depois, há o outro lado da coisa.
Os que, já não sendo nenhuns jovens, insistem em ver apenas OS OUTROS como velhos.
Tal como contava, há dias, a minha vizinha do 5º esquerdo:
"Eu estava sentada na sala de espera para a minha primeira consulta com um novo dentista quando reparei que o seu diploma estava pendurado na parede. Ao ler o nome, recordei-me, de repente, de um moreno alto que tinha o mesmo nome.
Era da minha turma de liceu, aí uns 40 anos atrás.
Seria o mesmo rapaz por quem me tinha apaixonado?
Ao entrar no consultório e ao ver aquele homem grisalho, quase calvo, de rosto enrugado, achei que não podia ser o mesmo.
Pelo sim pelo não, perguntei se tinha andado no Pedro Nunes.
-«Sim», respondeu ele.
-«E em que ano acabou o liceu?»
-«1970. Porquê a pergunta?»
-«...Ah, bem, você era da minha turma», disse eu.
E então aquele velho horrível, anormal, cretino, filho duma égua perguntou-me:
-«A senhora era professora de quê?»
.
.
E assim vamos andando.