3 Ecos da Falésia: Fevereiro 2007

quarta-feira, fevereiro 28, 2007

O BOM EXEMPLO DE ITÁLIA




Estas imagens já têm uns dias, mas ganharam nova actualidade, com as notícias saídas nos jornais portugueses, sobre uma nova vaga de agressões a professores, por parte dos respectivos alunos e, até, de seus familiares.
.
Hoje mesmo, o JN relata o caso de um docente da escola básica do 1º ciclo de Campinas (Porto), agredido pelo AVÔ de um dos seus alunos, com consequente assistência hospitalar, a lesões na face.
.
Àparte o facto de a nossa Terceira Idade dar indícios de um maior vigor e pujança física ( o que já justifica o discutido encerramento de SAPs e Urgências), está a canalizar-se toda esta energia, de uma forma pouco saudável.
.
Ponham-se os olhos no que se passa em Itália:
Ali, os alunos, ao invés de agredirem a professsora, preferem acariciá-la, gentilmente, nos glúteos, enquanto decorre a aula.
A professora fica mais calma com a massagem e os petizes - na casa dos 11 anos - sempre aproveitam uma aula prática de iniciação sexual.
Além de se especializarem em fotografia, a partir dos telemóveis.
Só pedagogia.
.
Aqui, não.
É tudo à trancada, os nervos andam em franja e assiste-se ao triste espectáculo de um docente jovem não ser capaz de fazer frente à pujança um avôzinho.
Cena que teve, na origem, um mal resolvido desentendimento entre o professor e o netinho do Avô Maravilha.
.
Está visto:
Daqui até chegarmos ao calcanhares da Itália, não me doa a cabeça.
.
TLIM


terça-feira, fevereiro 27, 2007

UMA VERDADE INCONVENIENTE

No seguimento da noite dos óscares e para se ver como a mesma frase pode ser entendida, por diversas pessoas, de forma distinta, as palavras, que titulam este post, têm, para mim, um significado completamente diferente do que tiveram para o muito ovacionado e oscarizado Al Gore.
Que, diga-se de passagem, está muito mais esbelto, desde que resolveu, como bom ecologista que é, deixar de utilizar o automóvel e fazer todos os percursos, a pé.
Ia eu dizendo, então, que, para mim, a "verdade inconveniente" é o dia de hoje ser, exactamente, aquele que me põe um ano mais, às costas.
.
Mas, já que não está nas minhas mãos evitá-lo, posso, pelo menos, oferecer um docinho virtual, a quem passar por aqui, hoje.
.
Para que não pensem que estou desacompanhada, nesta data incómoda, aí vai uma pequena lista de pessoas nascidas neste dia (não no mesmo ano, que isso é segredo dos deuses):
.
Elisabeth taylor
John Steinbeck
Joanne Woodward
Ariel Sharon
Chelsea Clinton
.
Todos mais velhotes, com excepção da menina Clinton.
O Steinbeck, então, desde 1968 que já não sabe o que é festejar um aniversário...
.

Beijinhos e passem um dia agradável, que é o que eu tenciono fazer.
.
TLIM

segunda-feira, fevereiro 26, 2007

ENNIO MORRICONE

Cinco vezes nomeado; autor de mais de 500 temas musicais para cinema e televisão:
Um Óscar honorário que não seria mais merecido.
.
"Era uma vez na América".
"Cinema Paraíso".
"A lenda de 1900". Para só citar três magníficos exemplos do talento do compositor.
.
E ninguém melhor, para lhe entregar o prémio, do que um homem, com um bom gosto incrível, no que à música diz respeito:
Clint Eastwood.
.
Quanto ao resto, uma noite quase desprovida de glamour, não fosse a presença impressionante de Helen Mirren.
.
TLIM

domingo, fevereiro 25, 2007

PERGUNTAS SEM RESPOSTA

Foi engano na impressão do cartaz?
Quem fez as contas tinha tirado negativa a matemática?
O secretário da Junta zangou-se com o Presidente e resolveu pregar-lhe a partida?
Foi ao calhas, porque ninguém presta atenção a estes cartazes?
Os Fundos Europeus são sempre aproveitados assim?
Portugal é, mesmo, um país de grunhos?

.
.
TLIM

sexta-feira, fevereiro 23, 2007

UMA VOZ PARA A ETERNIDADE

Águas
E pedras do rio
Num sono vazio
Não vão acordar.
Águas
Das fontes, calai
Ó ribeiras, chorai
Que eu não volto
A cantar.
.
.( in "Balada do Outono" - José Afonso)

TLIM

quinta-feira, fevereiro 22, 2007

A FALTA DE BOAS MANEIRAS


E passo a transcrever a notícia do "Sol", citando o diário sérvio "Politika":
.
"O cirurgião Spasoje Radulolvic efectuava uma operação de rotina, ao apêncice, quando o colega Dragan Vukanic entrou na sala e o insultou e lhe puxou uma orelha.
Segundo a anestesista de serviço, Radulovic respondeu com uma chapada e a luta estalou no bloco operatório.
Para trás, ficou o paciente, a quem um médico assistente terminou a cirurgia.
Mas os doutores rivais é que ficaram pior, acabando os colegas por os assistir, devido a dedos fracturados, dentes partidos e lábios rompidos"(sic).
.
Já tinhamos uma ideia sobre alguma dificuldade de relacionamentos naquele país, mercê das vissicitudes dos últimos anos.
.
A verdade, porém, é que o Dr. Radulovic nunca deveria ter subestimado um colega, cujo nome é DRAGAN.
Ainda por cima, DRAGAN VUKANIC!
Não põem a cabecinha a funcionar, não se lembram que, a quem ostenta nomes destes, o sangue põe-se a ferver nas veias, com maior facilidade, ainda por cima, às vesperas de jogos importantíssimos.
Quem pode, realmente, censurar um super-dragan-vukanic, que se enerva com a ideia de estar quase a assistir, pela televisão, ao pisar da relva do seu clube, por um traidor armado em sex symbol?
Era de esperar que, naquele dia, se apresentasse, significativamente, alterado.
E o colega, devia ter-lhe dado o desconto, em vez de ripostar, como uma peixeira.
A sua obrigação era encaixar o puxão de orelhas e ignorar os palavrões.
Que é nestas alturas que se vê quem tem maneiras.
Não é com "chapadas".
Quando Deus quer, ainda é capaz de ter ido apresentar queixa na Ordem, por ter ficado com algum dedinho partido ou o lábio "rompido".
.
E, infelizmente, chegada a noite da verdade, embora não se tivessem confirmados os piores receios, também não se pode dizer que o Dr. Dragan tenha razões para ficar descansado.
.
TLIM

quarta-feira, fevereiro 21, 2007

MARKETING À ITALIANA

Já era sabido que a imagem duma mulher bonita serve para vender seguros, casas, carros, sabonetes, perfumes, águas (com e sem gás), roupa, jóias, electrodomésticos, produtos para emagrecer, iogurtes que nos garantem protecção total, contra todos os males e... tudo o mais que passar pelo crâneo dum publicitário.

O que ainda estava por demonstrar era a sua eficácia na venda de caixões.
.
Mas... quanto mais velho é o homem, mais perto está de necessitar dum produto destes e mais sensível se torna a uma carinha laroca.
E não só.
.
Se algum dos clientes habituais deste blog estiver interessado em encomendar um exemplar destes, eu disponibilizo o endereço:
.
Quem é amiguinha, quem é?
.
TLIM
.
PS: Lamento informar que os artigos expostos, não incluem as respectivas meninas.

segunda-feira, fevereiro 19, 2007

SUGESTÕES PARA MASCARAR O SEU MELHOR AMIGO
















Com uma destas sugestões, você pode tornar o seu grande amigo num animal completamente feliz, nesta quadra carnavalesca.
Ouse.
'
TLIM






domingo, fevereiro 18, 2007

AVISO TARDIO

Foi uma grande maldade, o Dr. Alberto João não ter dito o que disse,
ANTES do dia 11.
'
Se nos tivesse avisado, antes, de que
"EM PORTUGAL, HÁ FALTA DE TESTÍCULOS",
talvez pudesse ter sido evitada toda aquela movimentação (e despesa!) ,
com o Referendo ao Aborto.
'
Que, se a memória não me falha, não havendo testículos, já está evitada,
à partida, qualquer gravidez.
Desejada, ou indesejada.
'
Os Senhores Deputados que pensem bem nisso, antes de se precipitarem
a mudar a lei.
'

TLIM

sábado, fevereiro 17, 2007

MITOS


Após o resultado de um estudo feito a uma moeda milenar, com a efígie da mais célebre raínha do Egipto, a revelação não podia ser mais desoladora:
'
Cleópatra tinha testa estreita, nariz adunco e queixo pontudo, com uma bela papada a completar.
Ou seja: Era muito mais a imagem da bruxa má da "Branca de Neve", do que a de Elisabeth Taylor, ao contrário do que nos fizeram crer.
'
E se foi por uma tal "beleza" que dois homens, tão notáveis, andaram à pancada, das duas uma:
'
Ou nenhum deles era cliente da MultiÓpticas ( como o menino dos preservativos)
Ou militavam, ambos, no Bloco de Esquerda.
E as ganzas não lhes faziam nada bem.
'
TLIM

quinta-feira, fevereiro 15, 2007

A INFLUÊNCIA NEFASTA DO FUTEBOL


Ontem à tarde, uma senhora, que se encontrava no Centro Comercial Portugália (Av. Almirante Reis), sentiu-se mal e foi accionado o 112.
Chegada a ambulância, saíram os dois técnicos do INEM, deixando a ambulância aberta, com as rotativas a funcionar.
Deu-se o caso de, por ali, estar a passar um cidadão romeno, com um ligeiríssimo grãozinho na asa e sem transporte próprio para se dirigir ao Estádio da Luz, palco do encontro Benfica - Dínamo de Bucareste.
Ora, é doloroso estar-se a milhas da Pátria e não poder, sequer, chegar perto da equipa que a representa.
Assim, entre o pensar e o agir, o nosso amigo nem esteve com mais conversas:
Entrou na ambulância e ala, que se faz tarde.
A rotativa luz azul até deu uma ajuda para vencer os vermelhos dos semáforos.
Azar foi a PSP conseguir apanhá-lo, já no Campo Pequeno, mais perto do destino almejado.
E lá foi o pobre dar com os ossos, na esquadra
do Campo Grande.
Diálogo brevíssimo, entre a técnica do INEM e a jornalista:
-"Espero que não volte a acontecer, porque é uma situação muito chata, a pessoa não sabe o que há-de fazer e... prontos. Acontece. Aconteceu."
-"E a senhora que vinham buscar?"
-"Olhe tive que chamar o 112..."
TLIM

Etiquetas: ,

terça-feira, fevereiro 13, 2007

A REEDUCAÇÃO





A falta que nos fazem uns Jogos Olímpicos no horizonte!
Em Lisboa, temos uma Câmara Municipal, mas falta-nos uma directora e, sobretudo, um Departamento de Assuntos Cívicos.
Como o Senhor Primeiro Ministro teve, certamente, ocasião de constatar, nesta sua última viagem, altura em que já se encontrava em prática, a nova Campanha de Reeducação que visa ensinar ao povo chinês, uma forma de estar, mais em consonância com os hábitos ocidentais.
Porque os Jogos Olímpicos estão à porta e não convém deixar má impressão na Imprensa mundial que lá vai caír, em peso.
Embora os chineses já estejam mais do que habituados a levar com campanhas de reeducação, pela frente, isso não quer dizer que não possam sentir as suas dificuldades.
Para os ajudar, o Município de Pequim fez distribuír um livrinho ( a côr da capa é que não sei), com 112 páginas, intitulado "MANUAL GERAL DE CIVILIDADE E BOAS MANEIRAS":
Como "andar de costas direitas e ombros relaxados, sem dar muito aos braços,
enquanto se pisa o chão de forma ligeira, mas estável".
O tempo recomendável que deve durar um aperto de mão e qual a "intensidade" do aperto.
A forma correcta de satisfazer as necessidades fisiológicas, as correspondentes posições, puxar de autoclismo, lavagem de mãos, e por aí fora.
E também, onde as tais necessidades não devem ser satisfeitas.
Lixo para o chão, também está interdito.
Atirá-lo pela janela, igualmente, o que já é mais chato.
Vai ter de acabar o péssimo costume de se juntarem, todos, nas paragens dos transportes públicos, em estilo "tudo ao molho e fé em Buda".
Agora, a cada dia 11 do mês terão de proceder aos treinos de formar bicha, enquanto aguardam.
(O número 11 foi escolhido, justamente por representar uma pessoa atrás da outra).
E, last but not the least ( a mudança para o Beta tem -me ensinado umas coisas), existem os activistas da "Campanha Anti-Escarreta":
O Senhor Wang administra uma oganização que tem o site "the website Jintan. org",cuja tradução é, mais ou menos, "o site do não-cuspir", que conta com 100 voluntários, altamente empenhados na sua missão reeducadora.
Quem quiser contribuír, pode escrever para mei.fong@wsj.com.
Sintam-se á vontade.
Os refractários terão, à sua espera, umas multas que não são de subestimar, que, por lá, não se brinca em serviço.
Quem se portar mal, larga logo 5 Euros, que é o equivalente ao valor do rendimento diário de um trabalhador com curso superior.
Com essa quantia, podem comprar-se 16 bilhetes de metro, ou uma refeição em restaurante, ou um pacote de lenços de papel, ou ainda, 5 garrafas de cerveja.
Depende do que cada um estiver disposto a abdicar, em caso de descuido.
E até aposto que um cidadão Pequinês fará mais progressos, num ano, do que um Portuga, ao fim de quase 32 anos.
TLIM

segunda-feira, fevereiro 12, 2007

À BRUTA

Devido ao sismo de grau 6 que foi, hoje, sentido em vários locais do sul do País, o Blogger tremeu e recusou-se a voltar a publicar o que quer que fosse, sem que eu mudasse, antes, para o novo sistema BETA, coisa que eu andava a evitar, diga-se de passagem.

Mas foi como já dizia a minha avòzinha:
Quer tu queiras, quer não queiras, hás-de ser bombeiro voluntário.

TLIM

domingo, fevereiro 11, 2007

SÁTIRA AOS HOMENS, QUANDO ESTÃO COM GRIPE

Pachos na testa, terço na mão,
Uma botija, chá de limão,
Zaragatoas, vinho com mel,
Três aspirinas, creme na pele.
Grito de medo, chamo a mulher,
Ai, Lurdes, que vou morrer.
Mede-me a febre, olha-me a goela,
Cala os Miúdos, fecha a janela.
Não quero canja, nem a salada,
Ai Lurdes, Lurdes, não vales nada.
Se TU soubesses como me sinto,
Já vejo a morte, nunca te minto.
Já vejo o inferno, chamas, diabos,
Anjos estranhos, cornos e rabos.
Vejo demónios nas suas danças,
Tigres sem listras, bodes sem tranças,
Choros de coruja, risos de grilo,
Ai Lurdes, Lurdes, FICA comigo.
Não é o pingo duma torneira,
Põe-me a santinha à cabeceira,
Compõe-me a colcha,
Fala ao prior,
Pousa o Jesus no cobertor.
Chama o doutor, passa a chamada,
Ai Lurdes, Lurdes, nem dás por nada!
Faz-me tisanas e pão-de-ló,
Não te levantes que fico só,
Aqui sòzinho a apodrecer.
Ai Lurdes, Lurdes, que vou morrer...

--------------------------------------------------------------
De António Lobo Antunes.

Que sabe muito da mente dos homens ...

TLIM

sexta-feira, fevereiro 09, 2007

MUITO SIMBÓLICO, DRAMATÙRGICAMENTE.

A nossa Cláudia Dias, que tinha prevista uma exibição, integrada no Festival Internacional de Dança "New Territories", em Glasgow (Escócia), viu-se impedida de actuar, devido a uma actual e inoportuna lei, que proíbe o fumo em locais públicos, incluindo o palco do teatro.

A directora de produção do espectáculo lamentou o acontecido, ao mesmo tempo que acedeu a fornecer alguns pormenores que integrariam a actuação de Cláudia:

"A coreografia implicava que ela fumasse durante a sua performance, o que não pôde fazer, em virtude da lei vigente na Escócia.
O facto de fumar era parte integrante da sua coreografia e, qualquer alternativa, ia, dramatùrgicamente, implicar com o seu trabalho.
A bailarina tem de fumar, em cena, para simular um nevoeiro sobre a cidade de que fala e apaga o cigarro numa garrafa com água, entre as pernas, o que é tudo muito simbólico".

A performance de Claudia Dias inclui produtos de uso diário como lenços, fósforos, rebuçados, cigarros e tampões.

Estas novas e maravilhosas concepções da dança contemporânea, de repente, dão de caras com leis absurdas e fundamentalistas, como esta, que o nosso querido Miguel Sousa Tavares nunca se cansa de exorcizar.
E lá se vai assim, de um momento para o outro, o simbolismo, dramatùrgicamente pelo cano abaixo.

A garrafa, já sabemos onde estava, estratègicamente, colocada, para apagar o cigarro.
Os rebuçados, podemos calcular, ou se calhar, nem por isso.

Quanto aos demais adereços, confesso-me muito pouco imaginativa.
Dramatùrgicamente, falando.

TLIM

( Notícia do "SOL online", de 07/02/2007)

terça-feira, fevereiro 06, 2007

O INSÓLITO, EM FINAL DE CAMPANHA

No passado Domingo, puderam os telespectadores constatar a forma calma como Maria Elisa moderou o seu painel de convidados e, um ou outro, mais atento, notou um toque diferente, na sua maquilhagem, que lhe dava , ao rosto, um certo ar "mefistofélico".
- "Tivémos de lhe dar umas gotas para acalmar e modificar, um pouco, o "make up", carregando nas sombras das pálpebras, para contrapôr às olheiras que eram indisfarçáveis"- confidenciou um amaneirado assistente de realização da RTP, que costuma dar estas dicas ao "24 Horas" e ao "Correio da Manhã".

Só às 4 Horas da manhã - quase no final do programa - se descobriu a causa do inicial nervosismo da apresentadora:
Estava prevista, para essa noite, a presença, no Palácio da Ajuda, dos 10 finalistas apurados, mas, estranhamente, nenhum deles compareceu.

Parece que, dias antes, eles teriam tomado conhecimento da mobilização nacional à volta do referendo de 11/02, manifestando profunda indignação:
-"Então colocam-nos num concurso destes e, depois, metem outro, pelo meio, a tirar-nos todo o protagonismo?"

Diz-se que, após violenta altercação, com Salazar, Cunhal terá exclamado, já com incontida irritação:
- "Ai querem guerra?"- Provocando, de imediato, um aplauso de D. Afonso Henriques, saturado de andar a carregar a pesadíssima espada, sem a poder baixar sobre a cabeça de alguém.
No instante seguinte, já tinha apartado dois grupos, para se infiltrarem nesse tal outro concurso do dia 11 e poder, no final, reclamar, para si, a vitória.

Pelo SIM, fez alinhar:
Ele próprio; Aristides de Sousa Mendes; Fernando Pessoa; O Marquês de Pombal e... o Infante D. Henrique.

Pelo NÂO, dispôs:
Salazar; D. Afonso Henriques; Camões; D. João II e Vasco da Gama.

Foi assim que, na 2ª Feira, à noite, se apresentaram, todos, na porta do Teatro Armando Cortês, dispostos a fazer valer os seus argumentos e conseguir, enfim, algum do protagonismo que lhes tinha sido prometido.
Perante os seguranças, postados à entrada (que mereceram um disfarçado sorriso de aprovação de Salazar), e sem se aperceber da estranheza causada pelo "kitsch" das suas indumentárias, D. Afonso Henriques ergueu o espadalhão e bradou, qual Manuel Alegre:
- "A mim, ninguém me cala!"

Postos face a tal ameaça, foi chamada, às pressas, Fátima Campos Ferreira que, logo, ali, dominou a situação, como só ela sabe.
-"Meus senhores, meus senhores, não quero baderna, aqui à porta. Isto, hoj, é só para médicos e advogados, mas só os escolhidos por mim!
Façam o favor de destroçar, que AQUI, QUEM MANDA SOU EU!"
Perante tal estridente autoridade, até o nosso primeiro rei vacilou, baixando a espada.
Foi o bastante para que Cunhal, constatando que com uma mulher daquele calibre, não levaria a melhor, tivesse feito sinal, aos outros nove "grandes", para darem meia volta e irem pregar a outra freguesia.

E é assim que, refeito o plano de ataque, estes dois grupos irão, durante o resto da semana, calcorrear o país, em várias acções de uma inesperada campanha.
Embora não tenha sido revelada toda a estratégia, conseguimos descobrir que alguns, de entre eles, levam missões específicas, a seu cargo.
Salazar( com a sua experiência de seminarista), irá fazer a distribuição de panfletos com a efígie de Nossa Senhora, à porta das igrejas.
Procederá, igualmente, à introdução, de cartas de bebés abortados, nas mochilas de meninos que frequentem o ensino básico.
D. Afonso Henriques levantará a espada, perante quem fizer menção de recusar qualquer destes folhetos, enquanto irá declarando, em voz tonitroante:
-"Se a minha mãe me tivesse abortado, vocês, corja de maricas , ainda hoje seriam Espanhois!"

Pelo outro lado, Fernando Pessoa deslocar-se-á em cadeirinha de rodas, concedendo entrevistas a tudo o que for órgão de comunicação social, explicando com foi forçado a ir fazer um aborto a Badajoz.
O Infante D. Henrique irá, integrado em várias arruadas, levantando as saias, aqui e ali, para que possam ver o seu alvo ventre, onde estará escrita, a tinta da china, a frase
"NA MINHA BARRIGA, MANDO EU!"

E, só lá para Março, voltarão a encontrar-se com Maria Elisa.

TLIM

domingo, fevereiro 04, 2007

BATH ROOM

Anda, para aí, um côro de vozes a criticar Manuel Pinho, sem saberem a décima parte do que o homem tem passado, nesta visita à China.
Só agora, foram reveladas, à Imprensa, as instalações que lhe puseram à disposição, no hotel onde foi instalada a comitiva Portuguesa.
Para a satisfação de alguma necessidade premente, o nosso ministro tinha de ir ao jardim do lado, local destinado a essas emergências.

Dois dias passados, já ele não dizia coisa com coisa.

TLIM

É HOJE!

Aproveitando, enquanto não surge alguma directiva da União Europeia, que proíba a captura da espécie, vou, pela primeira vez, este ano, dedicar-me a degustar este maravilhoso pitéu.
Não será como em Entre-os-Rios, ou Monção, mas, em Lisboa, também há quem a faça... quase tão bem.
Os que não apreciam, não sabem o que perdem...

TLIM

quinta-feira, fevereiro 01, 2007

RÁPIDO, LIMPO E EFICAZ


Ainda haverá quem ache que vivemos num país atrazado?

Mal saíu a notícia, no JN, sobre o estudo, realizado por investigadores portugueses, logo um casal, residente em Almancil, se apressou a recorrer ao tratamento.

Foi tiro e queda:
Um e outro deixaram, em poucas horas, de sofrer - além de outras eventuais maleitas - da malfadada esclerose.

O Senhor Dr. Correia de Campos bem pode ficar grato ao Instituto Gulbenkian de Ciências de Oeiras, por mais esta descoberta científica, que lhe põe, à disposição, um dos métodos mais rápidos, limpos e eficazes de fazer poupar uns cobres ao seu Ministério.

TLIM