3 Ecos da Falésia: Abril 2006

quarta-feira, abril 26, 2006

DIREITOS

O pessoal do Conselho de Repúblicas de Coimbra quis brincar ao 25 de Abril e vá de avançar para os muros da Faculdade, de latinhas de "spray", na mão, e o mais aceso espírito revolucionário.
O problema foi não estarem, já, a viver naquela época gloriosa e isto, agora, ser um Estado de Direito (dizem as más línguas), onde é proibido pintar "grafitti" nas paredes.
Alguém chamou a polícia e foi um Deus nos acuda:
-"Isto é repressão", "querem apagar a História", e "é uma atitude repressiva"- gritavam quatro mais uma, bem de frente para as câmaras.
O pintor Mário Silva declarava-se, de alma e coração, a favor do movimento.
-"25 de Abril sempre, fascismo nunca mais"- o original "slogan", repetido até à exaustão e um ameaço de escaramuça com os agentes da ordem, farão regressar os estudantes à rua, segundo garantiram alguns.

E, como lhes sobram motivos e a imaginação não dá mostras de ser grande coisa, ninguém se admiraria se os meninos decidissem fechar, uma vez mais, os portões da Faculdade, a cadeado.

TLIM

AS CORES DO RACISMO

Para os "Experts" cá do burgo, o racismo só tem uma face e ela é, imaculadamente, branca.
Sucedem-se as notícias sobre os potenciais distúrbios que estarão a ser preparados, para o Mundial da Alemanha, as movimentações dos Serviços Secretos e por aí fora.
Sempre achei que o que se passa nesses Serviços, ou não é para ser badalado, cá fora, ou os Serviços, de secreto têm pouco.

Um acto de violência exercido por um branco sobre um negro, tem, forçosamente um cariz racista e xenófobo e ponto final.
Já se o acto racista tiver outra côr, é porque houve outras motivações.
Pergunto-me: Se, no caso do crime perpetrado contra o Presidente da Junta de Freguesia da Pena (e outras pessoas), se invertesse o colorido ao cenário, sendo o jardineiro branco e a vítima de raça negra, ou, ainda, se tivesse sido, simplesmente, o Presidente da Junta a matar o jardineiro, quais seriam as reações dos bem-pensantes, polìticamente correctos?

Regista-se o pedido de desculpas, por parte da Embaixada do Senegal que agiu correctamente.
Regista-se, também, o pesado silêncio da Associação SOS Racismo, bem como o dos camaradas do Bloco de Esquerda. Para os quais, como sempre, o racismo continua a ter uma só côr.

TLIM

terça-feira, abril 25, 2006

25 DE ABRIL, SEMPRE

Uma pequena parte da rapaziada continua a querer uma parte da bandeira só para si.
Embora não tenham arranjado o que censurar, no discurso do Presidente ( o que, só por si, já é algo extraordinário), ficaram, emburrados e sem conseguir juntar as mãos para bater palmas.
Mas, se tivessem batido, é que o milagre seria grande.

Pudémos ver, com satisfação, que, afinal, tanto o Dr. Soares como a Dra. Maria Barroso, já conseguem dormir, descansados. Óptimo.

Jaime Gama ergueu o seu cravo, qual taça de champanhe, a quatro militares de Abril ( Víctor Crespo, Sousa e Castro, Vasco Lourenço e Víctor Alves), numa saudação respeitosa.
Vasco Lourenço, com toda a graça de que é capaz, correspondeu. Crespo deve ter sentido a boca seca.
É certo que o anos passam para todos, mas há os que envelhecem melhor do que outros.

Mais tarde, encontraram-se com o povo, na Avenida, e "25 de Abril sempre, fascismo nunca mais". Chaimite da ordem, a deitar rolos de fumo, o que deve querer dizer que também está a caír da tripeça, como os outros.

Foi um dia bonito.
Ainda bem que já acabou.

TLIM

domingo, abril 23, 2006

FAZER, SEMPRE

No mesmo dia e de uma assentada, a Sô Dona Fátima FEZ anos e FEZ uma festa de arromba, para 3.000 convidados.
Que o povo adora quem lhe oferece Pão e Circo.

A acompanhar o Pão, F.F. serviu 580 Kg. de carne de porco, no espeto.
E, também, entre outras coisas, um bolo de aniversário, com mais de 17 METROS de altura!!!

Música e fogo de artifício abrilhantaram o Circo.

Austeridade? Crise? Desemprego? Subida dos preços do Petróleo? Contenção de Despesas? Limites de Crédito aos Municípios?
Ora, ora; aquela boa gente sabe que pode confiar numa Santa, que velará, amorosa e ternamente, por eles, porque tem, a ajudá-la, a contribuição amiga de outros 10.485.647 Portugueses, se não errei nas contas.
Amen.

TLIM

sábado, abril 22, 2006

ESTRANHAS MORANGUICES

Página 26 do EXPRESSO:

A um lado, o "In Memoriam" de José Cutileiro, dedicado a Muriel Sparks.
À direita, três nomes, figurando no "Obituário":
Helena Balsa, Francisco Adam e Maria leopoldina Guia.

Helena Balsa foi ilustre jornalista. Maria Leopoldina, uma consagrada fadista.
E Francisco Adam, ali no meio?

O EXPRESSO apreciou as bambochatas proporcionadas pela TVI, à custa do funeral e quis, também, apanhar a carruagem?

Não me palpita que os "amantes" dos MORANGOS folheiem, sequer, ao de leve, as páginas deste Semanário.

TLIM

sexta-feira, abril 21, 2006

É A JUSTIÇA, ESTÚPIDO

O Meretíssimo Juiz Santos Carvalho pugnou, sempre, quixotescamente, pela absolvição desse ícone do Amor Materno, que é Leonor Cipriano.
O mais que conseguiu foi, ao menos, aliviar, um pouco, as penas àquelas duas amáveis criaturas, que zelaram, até ao fim, pelo bem estar da pequena Joana.

No espaço de uma semana, é a segunda boa notícia que nos chega do Supremo Tribunal de Justiça.
Antes, tinham-nos sido dados a conhecer alguns dos métodos, considerados como, dos mais pedagógicos, por estes Senhores do Supremo, quando se trata de educar crianças deficientes:
Amarrá-las à cama, ou fechá-las na dispensa, não esquecendo de apagar a luz. E, no caminho, ir-lhes pregando umas chapadas, de preferência, na cara ou na cabeça.

Já, tempos atrás, um desses Meretíssimos, durante o julgamento de um pacífico cidadão, que vinha acusado do homicídio da mulher, considerou baixar-lhe a pena, por haver atenuantes:
A falecida costumava ir ao Café, sem o seu consentimento e, volta e meia, depois de levar uns enxertos, distraía-se e deixava esturricar o jantar.

Há, assim, fundadas esperanças de que, quando o caso Vanessa chegar ao Supremo ( sempre chegam), algum Meretíssimo não deixe escapar uma, mas nem uma atenuante, nas circunstâncias que conduziram ao infeliz desfecho ( seja o meio social, a deficiente instrução, a miséria, o mau feitio da miúda, enfim: é só escolher).

A bem da nossa IMPOLUTA Justiça.

TLIM

quinta-feira, abril 20, 2006

NUNCA, À QUARTA-FEIRA

Na passada semana, alguns Senhores Deputados da Nação, resolveram faltar ao trabalho.
Era Quarta-Feira.
Entre os gazeteiros, contava-se o Dr. Manuel Maria Carrilho.

Esta semana, surpreendentemente ( ou, se calhar, não), o mesmíssimo Senhor faltou a uma reunião da Vereação da Câmara Municipal de Lisboa.
E era Quarta-Feira.

A sua ausência fez chumbar uma proposta que iria permitir a 1.600 trabalhadores, a recibos verdes, acederem ao Quadro do Município.

Se, por um daqueles acasos extraordinários, algum desses 1.600, fosse jardineiro, Senegalês e tivesse acesso a um daqueles maços pesadões, usados pelos cantoneiros, era capaz de ser um grande azar para o nosso filósofo.

TLIM

quarta-feira, abril 19, 2006

SEGREDOS DA CHINA

Segundo dados da Amnistia Internacional, no ano de 2005, 2.148 pessoas foram executadas, em todo o mundo.
Mas, porque em muitos países, estes dados são uma espécie de Segredo de Estado, o número peca, e muito, por defeito, podendo atingir 24.546 . Também aqui, a precisão da estimativa não deixa de surpreender.
Só na China, o número oficial é de 1.770 cidadãos executados, temendo-se que o número real se aproxime dos 8.000 ( bem acima dos totais declarados, oficialmente, no mundo inteiro).
Piers Bannister, da A.I., declara-se surpreso com tanto secretismo, achando que "seria interessante perguntar às Autoridades Chinesas porque não desejam revelar o número de pessoas que mandam executar".

Tivesse o Senhor Bannister lido THE GUARDIAN, da passada 2ª Feira e já não teria essa dúvida, a pairar-lhe no espírito:
Segundo aquele jornal Britânico, a China conta entre os seus, sempre florescentes negócios, o da venda internacional de órgãos humanos para transplantes.

A empresa TRANSPLANTS INTERNATIONAL vende rins, a 34.000 Euros, a peça:
"Por serem órgãos de condenados à morte, com execução já AGENDADA, sabemos, pelo menos, com 15 dias de antecedência, quando o rim estará PRONTO".
Garante a empresa:
"São feitas análises sanguíneas, de forma a garantir que os órgãos sejam compatíveis com os doentes ocidentais e que não sejam portadores de doenças".

Mais revela, ainda, a notícia do GUARDIAN:
Num hospital, no sul da China, um médico que realiza, há vários anos, estes transplantes, já recebeu, do Governo do seu País, 19 prémios, POR MÉRITO.

E então, Senhor Bannister: PERCEBEU, AGORA?

TLIM

terça-feira, abril 18, 2006

40.000

Diz o, sempre afável, Mahmoud Ahmadinejad que tem uma fornada de 40.000 suicidas, pronta a saír já, a qualquer momento, se os infiéis ocidentais se portarem mal.
E mais 50.000 acabados de recrutar, mas ainda precisados de aprender umas coisas.
O que, valha a verdade, é povo que nunca mais acaba.

No caso presente, quem mata é que vai direitinho ao Paraíso, enquanto quem é assassinado vai "arder no mármore do Inferno": Uma interpretação curiosa do BEM e do MAL.

Assim sendo, mesmo que haja, hoje, resmas de fiéis, aspirando ao martírio, é sempre conveniente começar a prepará-los, desde tenra idade, para não deixar esgotar o stock.
Mais um dever que cabe às Mães Iranianas.

Ser educador está a tornar-se, em cada dia que passa, uma tarefa de cada vez mais complexa.

TLIM

O QUE SENTE?

Passada que está a Páscoa, resta- nos a recordação dos mais belos momentos televisivos:
- "Como reagiu à gazeta dos deputados?"
- "O que acha da súbita subida de temperatura?"
- "Foi o seu primeiro dia de praia, este ano?"
- "Então e a chuva, agora? Veio estragar-lhe estas férias? O que vai fazer?"
- "O que lhe parece o padre não deixar saír a procissão?" ( justa indignação do cantor Vitorino).
- "Já comeu muitas amêndoas?"
- "Quando vai regressar a casa?"
- "Apanhou muito trânsito, para cá?"
- "O que sentiu ao saber da morte do jovem actor?"
- "O que é que vai dizer à família?"

Perguntamos nós, cândidamente, deste lado:
- "E não se poderia afogá-los, a todos, de uma só vez, juntamente com os respectivos Directores de Informação?"

TLIM

quarta-feira, abril 12, 2006

UMA BOA PÁSCOA

A quem passar por aqui.

TLIM

segunda-feira, abril 10, 2006

FROM IRAN, WITH LOVE

Semanalmente, aparece este panfleto no PARTO SOKHAN, um site onde é proposto e efectuado o recrutamento de voluntários do Irão, para operações suicidas:

Tradução (da versão Inglesa):

"DA GRANDEZA DE UMA NAÇÃO E DO EXEMPLO MÁXIMO DOS SEUS HERÓIS"
Sua Eminência, o Chefe Supremo
AYATOLLAH KHAMENEI
"Declaração para recrutamento de Forças Aspirantes ao Martírio:

No sentido de obter total prontidão contra os inimigos do Islão e da sagrada República Islâmica e para proteger os seus fundamentos, o Esquadrão dos Defensores do Martírio está a organizar "uma Divisão de Aspirantes ao Martírio", em cada Província do País onde houver candidatos a Mártires e forças populares corajosas, proporcionando-lhes um treino específico e especializado.
Pedimos, assim, a todos os nossos piedosos Irmãos e Irmãs, que estejam empenhados e determinados a defender o Islão, que, caso o desejem, nos enviem 2 fotografias suas, fotocópia do Bilhete de Identidade e o formulário que se segue, devidamente preenchido, para o seguinte endereço:
APARTADO P.O. 16535 - 664 -- TEERÃO,
por forma a dar seguimento à sua inscrição e poder iniciar-se o respectivo treino.
Deve sublinhar-se que as operações de treino e preparação para os Aspirantes ao Martírio, de cada Província, terão lugar nessa mesma Província.
------------------------------------------------------------------------------------------------
FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO PESSOAL:

Eu------------------- Filho/Filha de----------------B.I. Número------Data de nascimento--------- Residência-------------------------telefone-------
Requer tornar-se membro da Divisão de Aspirantes-ao-Martírio, na Província de-------------
Assinatura---------------------

Comentário brevíssimo:
Apre, que nem mesmo um futuro mártir consegue livrar-se da malvada burocracia!!!

TLIM

LINDO!!

TOCA A LAVAR AS MÃOS!

Andando o nosso Ministro da Saúde empenhado em campanhas-choque, aqui vai uma sugestão, inspirada por "Nuestros Hermanos".
Hoje, a imprensa traz a notícia de que há poucos lavatórios e produtos de higiéne, nos hospitais; logo, os profissionais da Saúde LAVAM POUCO AS MÃOS.
Com tanta badalação, à volta de pandemias, esta não deixa de ser uma notícia inquietante.

Para além de Portugal não ser, diga-se em abono da verdade, muito virado para os bons hábitos da limpeza, a vários níveis.

Um país, que se acha vocacionado para o Turismo, continua a não dispôr de casas de banho públicas, para quem vá às compras, por exemplo, ou utize o Metropolitano: Aqui, as poucas estações que as têm, conservam-nas fechadas a sete chaves, "por causa dos drogados" - desculpa apresentada pelos funcionários.
Quem circule pelas nossas cidades, não pode ter "apertos". Ou, se os tiver, terá de apelar para a boa vontade dos donos de cafés e pastelarias, quando não é obrigado a um consumo mínimo, se quiser utilizar o WC da casa. Para evitar abusos, em muitos locais, a chave está atrás do balcão, completamente dependente da simpatia do empregado de turno.
E, alcançada a chave, em quantos lavabos existe sabonete, papel higiénico e forma decente de secar as mãos?
Muitas Estaçôes de Serviço, ao longo das nossas estradas, apresentam bichas quilométricas, a certas horas, porque, apesar de haver vários compartimentos de WCs, só um ou dois estão à disposição dos utentes. A maioria encontra-se, sistemàticamente, "AVARIADA".

O nosso bom povo, aliás, corresponde, da melhor maneira, deixando papéis pelo chão (entre outras coisas menos simpáticas) e poupando, ao máximo, as descargas do autoclismo.
Quanto à lavagem das mãos, o melhor, mesmo, é nem falar.
Se penssássemos muito nisso, nunca nos sentaríamos à mesa de um restaurante, não é verdade?

Sabe-se a persistência que é precisa, para incutir, numa criança, hábitos, regulares, de higiene.
Quando alcançam a adolescência, então, chega a ser um martírio.
Numa época em que os Pais passam, de cada vez, menos tempo com os Filhos e não são dados a maçar-se, muito, com a educação que lhes trasmitem, só podemos ter os piores receios, relativamente ao futuro grau de civismo e de limpeza pessoal das gerações que, actualmente, frequentam os nossos Infantários.

TLIM

sexta-feira, abril 07, 2006

AI, AI, AI, JORGE NUNO

Este homem, quando está com os azeites, perde, completamente, as estribeiras:
Então foi para isto que andou a pagar uns implantes de silicone, para a pequena ficar mais airosa? Ainda se arrisca a que o cirurgião plástico o ponha em tribunal, por danos infligidos a obra de autor.

TLIM

MAU GOSTO II - O "FANTASFUMO"

Insiste Correia de Campos, que acaba de aparecer no ecrã do meu televisor, ostentando um sorriso condescendente, do tipo "eu é que sei do que estou a falar":
As campanhas Brasileira e Canadiana são o modelo a seguir ( foto acima) e agora, não tenho tempo, que ainda há mais uns lares e umas creches que preciso mandar fechar.
Conclusão: Em breve, poderemos assistir ao "FantasFumo" - Festival do Terror, não em filmes e no Porto, mas em maços de tabaco e por todo o País.

Qestionado sobre como tenciona fazer cumprir a proibição de fumar em locais fechados (escritórios, empresas, restaurantes, bares, escolas, centros comerciais, "foyers" de cinemas e teatros, etc), declarou o Ministro, plàcidamente, que "quem vai fazer cumprir a lei, são os outros portugueses que não fumam; os chamados fumadores passivos". E que "aqui não se trata de repressão, trata-se de uma atitude de cidadania".
Relativamente à cidadania, a minha experiência, numa carruagem do metro de Lisboa, foi a que se segue:
Perante um matulão, fumando, calmamente, no lugar ao meu lado, apontei-lhe o cartaz, bem visível, onde se lia que era proibido fumar, naquele local.*
A resposta foi bem elucidativa de como muita gente entende a "Cidadania à Portuguesa":
Uma frase obscena e um dedo esticado.
O pessoal, à volta, olhou para o outro lado, impàvido. E eu, se não quis gramar as baforadas, levantei-me e fiquei em pé, longe do prevaricador, que, òbviamente, continuou sentado.
Goste-se, ou não, é este, infelizmente, o País real.
E pode o Senhor Ministro legislar, à vontade, se isso lhe dá a sensação do dever cumprido.

Se, porventura, existir muita gente apostada em fazer queixinhas dos colegas de serviço, as relações, nos locais de trabalho, vão degradar-se, enquanto o Diabo esfrega um olho.

E, tal como a divulgação, na Net, das declarações de IRS do cidadão comum, esta parece ser mais uma forma de fazer, de cada Português, um DELATOR, coisa bem pouco simpática, aliás.

TLIM

*Eu deixei de fumar, vai para alguns anos.

quinta-feira, abril 06, 2006

MAU GOSTO

A sanha proibitiva começa a resvalar para a falta de senso. Depois do desmentido cerco, aos produtores de vinho, é a vez da intensificação das campanhas anti tabaco.
Proibir o fumo em locais fechados, restaurantes e bares incluídos, seria interessante, não estivéssemos, nós todos, fartíssimos de saber que, não havendo a fiscalização necessária, vai continuar tudo, rigorosamente, na mesma.
O mesmo se aplica à venda de tabaco a menores.

Relativamente à peregrina idéia de mandar imprimir, nos maços de tabaco, fotografias chocantes de cancerosos, amputados, bebés prematuros, ou fetos resultantes de abortos, em frascos de formol, tenham santa paciência!!!
É idéia rematadamente absurda, além de demagógica:
Nada prova que fotos, como as que surgiram, em idêntica campanha, no Brasil ( exemplo acima), correspondam, realmente a consequências do abuso de tabaco.
Para além de configurarem o mais acabado exemplo de MAU GOSTO, contra o qual, já vários médicos protestaram.

Talvez o Dr. Correia de Campos esteja a precisar de umas férias, para repousar as idéias.
E para que, no meio de tanto afã legislativo, não se perca, completamente, a noção do razoável.

TLIM

segunda-feira, abril 03, 2006

O PAÍS DAS MARAVILHAS

O nosso Primeiro ministro, em cada dia que passa, supera-se a si próprio. São medidas atrás de medidas, anúncios atrás de anúncios.
- "É preciso andar depressa, para ficar no mesmo sítio", Sócrates dixit, citando Lewis Carroll.

Falta é convencer os portugueses a lançarem-se no galope, à medida que as rédeas vão sendo, de cada vez, mais apertadas.
O cabresto imposto às Corporações Políciais, por exemplo, parece não estar a resultar lá muito bem.
Para as ditas, entenda-se.
Que, para o Governo, é possível que resulte: Quando tudo estiver na dependência directa dos Senhores Ministros Dupont e Dupond... perdão; queria dizer: Costa e Costa, acabam-se logo as fugas de informação e outras maçadas quejandas. O Processo Casa Pia, por exemplo, passa a correr, logo, às mil maravilhas.
Continuando nós, no País da Alice.

TLIM

sábado, abril 01, 2006

CONTRA FACTOS, NÃO HÁ ARGUMENTOS

Hoje, finalmente, tornei-me assinante da TV CABO, e já não era sem tempo.
Fui vencida pelos argumentos de vários amigos, todos eles clientes antigos daquela empresa, à qual, não cessavam de tecer rasgados elogios:
- Que, ao cabo de anos e anos, a TV CABO apenas uma única vez aumentou a mensalidade e, mesmo assim, antes de passar à prática, mandou, a cada assinante, repetidos avisos, com pedidos simultâneos de antecipadas desculpas.
- Que, desde que eram clientes da TV CABO, nunca esta tinha alterado o alinhamento dos seus canais.
- Que só tem aumentado a oferta, propondo, frequentemente, estimulantes novidades, todas, pelo preço da chuva ( uma das últimas foi a possibilidade de ouvir rádio, na televisão).
- Que nunca suprimiu um único canal, da grelha proposta, inicialmente.
- Que não era usual passarem a codificado um canal apreciado pelos assinantes.
- Que, com a TV CABO, as avarias não existiam.
- Que apreciavam, especialmente, o RAI UNO, o RAI DUE, o FASHION, o TRAVEL, o CANAL SAÚDE, o CANÇÃO NOVA (as minhas amigas mais religiosas), o ARTE e, acima de todos, o GNT.
Será preciso dizer mais?
Convenceram-me.

TLIM