3 Ecos da Falésia: Janeiro 2006

domingo, janeiro 29, 2006

EUROPA - DO PASSADO AO FUTURO




Com a vitória do HAMAS, brevemente serão banidas,

do ocidente, as poucas vergonhas...

(fotos - via IMPERTINÊNCIAS )

TLIM

O MILAGRE

Num tempo como o que estamos a viver, em que uma
vida humana vale menos do que duas ou três notas de
banco; em que vícios inqualificáveis levam ao abuso
dos mais indefesos, aproveitando, ainda, para,
vergonhosamente, obter imagens repugnantes, que
divulgam e vendem, porque há mercado garantido;
quando uma parte disso é exposto, contado e
recontado, em jornais e na TV, assegurando, assim,
maiores vendas e mais audiências...
Nós, o público a quem se destinam estes relatos,
pormenorizados, de miséria humana, parecemos
quedar-nos sem grandes opçôes:
Ou viramos a cara para o lado e a nossa passividade
far-nos-á, de alguma forma, parecer cúmplices,
ou lemos, ouvimos e vemos e, daí, aumentamos as
vendas e fazemos crescer as audiências.

Esta amarga constatação surgiu, depois de ter visto,
ao longo de todo o dia, no noticiário de uma estação
de TV, uma peça sobre um "milagre", ocorrido numa
lagoa, algures, nos matos do Brasil:

É descoberto um saco de plástico, fechado, boiando
nas águas, após terem sido ouvidos uns vagidos,
semelhantes "ao miar dum gato".
Um indivíduo, com um pau, puxa o saco para a
margem e, lá dentro, vestidinha, aparentemente
seca e, até, com uma fita na cabeça, aparece uma,
bem nutrida, bebé "de cerca de 2 meses" e logo
quando, por ali, andava um "amador", com uma
câmara de vídeo.
No hospital mais próximo, constata-se que a bebé
está de perfeita saúde.

Parece-me lícito levantar algumas dúvidas, que bem
gostaria de ver esclarecidas:
1- A quantos canais de televisão, em todo o mundo,
foi vendida esta "reportagem de vídeo-amador"?
2- Quanto meteram, ao bolso , os autores deste
"milagre"?
3- De todos os profissionais que a adquiriram,
quantos, realmente, acreditaram na história e
quantos duvidaram, achando, contudo, que, não
a comprando, perderiam audiências, porque haveria,
sempre, outros que o fariam?
4- E, entre nós, público consumidor, quantos são os
que "enfiam o barrete" e quantos os que se indignam
com mais uma miserável exploração feita à custa
de um bebé?

TLIM

NEVAR EM LISBOA

Não me lembro de ter visto nevar, assim, em Lisboa.
(Clicando
na foto,
vê-se
melhor).

A alegria
das crianças,
espalhou-se,
pelos quintais
de todos os
prédios, aqui
à volta.


E foi linda de se ver.

TLIM

sábado, janeiro 28, 2006

CÓDIGO CIVIL INCONSTITUCIONAL


Ás 14H e 30M do primeiro dia do
mês de Fevereiro,
na 7ª Conservatória do Registo
Civil de Lisboa, Teresa e Lena,
têm marcada a cerimónia civil do
seu casamento.




Após 3 anos vivendo em união de facto, o seu desejo é
de que a "família", que pretendem formar, seja
reconhecida e tenha plena eficácia jurídica.
Por acaso, as noivas até sabem que existe um
desagradável artigo (1.577), no nosso antiquado Código
Civil, que define o casamento como "um contrato
celebrado entre duas pessoas de sexo diferente, que
pretendem constituír família, mediante uma plena
comunhão de vida".

Só que este Código é, no fim de contas, uma
enormíssima chatice, pelo que, façam lá o favor
de procederem à sua alteração.
Para não obrigarem, agora, as pequenas, a recorrerem
ao Tribunal Constitucional.

Já viram bem o prejuízo?
Ainda vão ter que fazer como o Dr. Carrilho, tempos
atrás, quando quis casar-se e apanhou com o desgosto
de verificar que a noiva não era solteira:
Foi obrigado a substituír o casamento por outra
cerimónia, para justificar a festa programada.

No dia aprazado, é, pois, bem possível que aconteça,
por mero acaso, alguma manifestação espontânea
de "orgulhoso" desagravo, à porta da Conservatória.
A SIC se encarregará, então, de fornecer reportagem,
em directo, ao longo de toda a tarde, como é de sua
obrigação.
E, quem sabe, não será esta a estreia de Louçã, no uso
da gravata?

TLIM

quarta-feira, janeiro 25, 2006

THE FABULOUS PINTO BOYS

Tal como os fabulosos irmãos Baker, estes também
são grandes artistas.
Os primeiros, exibiam-se em casinos e cabarets,
tocando piano. Estes exercitam os dedos nas tesouras
e nas navalhas.
Lamentàvelmente, porém, ao contrário dos primeiros,
não consta que alguma Michelle Pfeiffer lhes tivesse,
alguma vez, "abrilhantado" o negócio.
O certo é que estes irmãos singraram, na vida, cuidando
de cabelos célebres, no Pinto's Cabeleireiros (C.Comercial
Apolo 70). O mano António aparando a cabeleira a Mário
Soares e o mano Joaquim, tratando da de Cavaco Silva.

Ora, a certa altura, como os Baker, a sociedade foi ao ar.
Saíu o António, que passou a atender no C. Comercial
Gemini. Os clientes continuaram fiéis, cada qual à tesoura
a que se tinha habituado.
A 10 de Junho de 2003, um deles e só um, foi condecorado
pelo actual Presidente Jorge Sampaio, com a Comenda da
Ordem de Mérito Comercial.
E eu, como sou muito màzinha, não vou dizer qual deles foi.

TLIM

A FRASE

A MELHOR FRASE DO "DAY AFTER":
Pertence a Elisa Ferreira e veio publicada
no JN:
"MÁRIO SOARES É O VENCEDOR MORAL
E HISTÓRICO DESTAS ELEIÇÕES".

Aconselha-se, urgentemente, acompanhamento
psicológico, para debelar a crise.

TLIM

REFORMAS DOURADAS

Face à divulgação, no Correio da Manhã, das reformas
de "alguns" ex- administradores do Banco de Portugal,
mais exactamente, seis, entre os quais, Cavaco Silva,
eu sugeria ao jornalista Miguel Alexandre Ganhão, que
se empenhasse, também, na publicação das benesses
de anteriores ocupantes do Palácio de Belém:

Reformas várias, gastos com gabinetes ( incluindo obras,
mobiliário e decoração), secretárias, carros, motoristas,
seguranças, telefones, viagens, ajudas de custo,
os presentes recebidos e levados para casa...
e por aí fora: Tudo o que julgar útil para, depois,
o povinho se poder indignar à vontade.

Não omita nada. Vai dar-lhe que fazer, mas verá como
o resultado obtido, valerá todo o seu esforço.

TLIM

segunda-feira, janeiro 23, 2006

O DIA SEGUINTE

Pois foi.
Foi a mais que previsível humilhação para quem se
achava o único com direito a subir ao podium de Belém.
Humilhação de levar, apenas, a medalha de bronze,
assistindo à entrega do ouro a Cavaco
e da prata a Alegre.
Isto, para quem encarar a coisa, pelo lado desportivo.

Que, para António Vitorino, Mário Soares "não foi
derrotado. Isso é não compreender a grandeza
da personagem". - Palavras intrigantes para cabecinhas
medianas, como a minha.

Já para vários apoiantes, Soares foi, nesta campanha,
" um leão que soube bater-se".
Que se bateu, é certo. Usando táticas menos nobres,
também.
Que, da sequência dos combates, resultaram ferimentos
difíceis de sarar, parece ser indiscutível.
Resta-lhe, ao menos, um leque de bons covis, à escolha,
todos eles confortáveis, além de bem guardados, onde
poderá, sempre, refugiar-se, para lamber as feridas.

TLIM

TROPELIAS EM NOITE DE ELEIÇÕES



TROPELIA -1: Ana Gomes ergue a câmara.


TROPELIA 2- Ana Gomes prepara-se

para atirar a câmara à cabeça de Alegre.

sexta-feira, janeiro 20, 2006

REVOLUCIONÁRIOS

A VITÓRIA DE ZAPATERO

SOARES, EM DISCURSO DIRECTO:

-"Os nossos amigos espanhóis deram-nos um exemplo
extraordinário, quando foi da vitória de Zapatero.
Parecia que as coisas não estavam bem e a verdade é
que, à última hora, dada a capacidade de mobilização
dos espanhóis, duns certos espanhóis, convencidos a
votar PSOE, em relação a todos os outros, foi decisiva,
como se diz; e, como foi dito, conseguiram destruír,
completamente, aquilo que alguns sábios previam,
como resultado das eleições e deram-lhe uma
excelente vitória!"

Ora, ora...
Relembrando os acontecimentos que mudaram o rumo
das eleições, em Espanha, não terá havido, aqui, mais uma
das célebres gaffes do nosso (salvo seja) candidato?

Não é por nada, não; mas o Tio Bin Laden ressuscitou,
agora, para mandar mais umas bocas.
E eu, por via das dúvidas, sabendo das teorias de diálogo
de certas pessoas e, já que o seguro morreu de velho,
vou confessar, aqui, uma coisa:

Amanhã, ninguém me apanha dentro de um metropolitano,
comboio, ou mesmo, autocarro.
Livra!!!

TLIM

quinta-feira, janeiro 19, 2006

UM PAÍS A SÉRIO?

´Vieram alguns jornais anunciar, há dias, que existem
600.000 falsos votantes.
Que seriam os, já, falecidos e os emigrados.
Sendo Portugal um país muito virado para o "esquema"
e o "desenrascanço", não me custaria a crer que muitos
dos nomes de ausentes, possam vir a ser aproveitados
por alguns "Chicos-espertos" da nossa praça.
De pouco lhes servirá, mas o gosto de transgredir, falará
mais alto.

E, cá entre nós, o "falso", geralmente, obtém sucesso.

De outra forma, não se explicariam os elevadíssimos
números de:

-Falsos pensionistas que conseguem levantar pensões.
-Falsos desempregados que recebem o respectivo
subsídio.
-Falsas baixas por doença.
-Falsos atestados médicos, passados para diversos fins.
-Receitas falsas aviadas nas farmácias.
-Falsas deslocações, em serviço, para obtenção de
subsidios.
-Facturas falsas passadas por este mundo e o outro.
-Falências falsas, em inúmeras empresas.
-Marcas falsificadas de artigos de vestuário e calçado.
-Selos falsos em garrafas de bebidas e em tabaco.
-Falsificação de perfumaria e cosmética.
-Passaportes, BIs, Cartas de Condução e outros
documentos, falsos.
-CDs e DVDs falseados.
-Automóveis (roubados ou não), andando , por aí,
com matrículas falsas.
-Milhões de assinaturas falsas em cheques e outros
documentos.
-Falsos dentistas a exercer, em todo o país.
-Táxis falsos a transitar, pelo menos, em Lisboa
e no Porto.
-Notas falsas, cada vez em maior número,
em circulação.

E, noutro plano:
-Grande parte da população usa dentes falsos...
-As nossas "top-models" e outras beldades, não
dispensam os falsos seios de silicone...
-Muitas bocas voluptuosas foram moldadas com
o mesmo produto...
-Extensões de cabelo falso, ornamentam muitas
cabeças...
-Paga-se muito bem, para colocar unhas falsas...

Termino com as falsas promessas feitas por políticos,
em campanha eleitoral ( e fora dela, também).
Estranhamente, os mesmos políticos que mentem,
vêm queixar-se, amiúde, de sondagens falseadas.

Por tudo o exposto e pelo muito mais que ficou
esquecido, podemos chegar à triste conclusão de que
vivemos, todos, num mundo "faz-de conta",
alimentando-nos de falsas expectativas, criadas pelos
argumentos falsos que os nossos governantes inventam
para nos convencerem de que este sítio, em que vivemos,
é um PAÍS A SÉRIO.

TLIM

quarta-feira, janeiro 18, 2006

DESCULPA LÁ O MAU GEITO


Terá sido com esta frase que os três
polícias , na imagem, se dirigiram
ao lingrinhas de boné que,
por puro nervosismo, alvejou e
quase matou um guarda da GNR
que lhe queria fazer uma visita,
sem ter, prèviamente, telefonado.

Este cadastrado, padeiro,
nas horas vagas,
nem precisou, sequer de se
preocupar em arranjar um refém,
para manter, em respeito e bem
mansinhos, durante 28 horas,
todos os polícias chamados a resolver
a situação.

Foi uma sorte existir uma filha que soube argumentar, de molde a fazer o homem
render-se, senão, a estas horas, ainda o trânsito da localidade continuaria cortado,
os GNRs de espreita à casa e o demais pessoal aguardando, pacientemente, que
passassem os azeites ao padeiro. Não fosse ele enervar-se mais e tropeçar na carabina,
magoando algum pé.

Foi uma grande lição esta, que já deu frutos:
Hoje, mais um se barricou em casa, mas desta feita, com reféns.
Aguardam-se os próximos dias.

TLIM

terça-feira, janeiro 17, 2006

DÉFICITS E TEMPESTADES

Depois de, gentilmente, ter entregue o recadinho do
Senhor Ministro da Defesa aos operários dos Estaleiros
Navais de Viana do Castelo, Mário Soares subiu a bordo
do Navio Hospital Gil Eanes, onde perorou sobre o
rumo de Portugal, que deverá ser, urgentemente, o do
MAR. Do MAR virá a salvação, tal como outrora.
O déficit não interessa nada, é coisa com a qual Portugal
sempre teve de conviver, nada de fatalismos, pois.

E aproveitou para relembrar, nostálgico, a experiência
tida, a bordo, num cruzeiro pelos mares da Grécia onde,
no meio duma tempestade, ia deitando abaixo o whisky
do Comandante, numa sala vazia, onde os dois trocavam
impressões.

Tempestades são, como muito bem se sabe, precalços a
que os comandantes ligam pouco, preferindo as boas
companhias, em vez de orientarem a tripulação.

São as tempestades e os déficits.

TLIM

segunda-feira, janeiro 16, 2006

ÁS ARMAS!

Estou que nem posso, tal o orgulho que sinto:
Finalmente, no próximo Domingo e, ao cabo de
todos estes anos, vou ser co-responsável pela
primeira tentativa de GOLPE DE ESTADO
CONSTITUCIONAL, no meu País.

FANTÁSTICO! Espero que, nesta façanha,
o maior número de compatriotas me ajude.

TLIM

sábado, janeiro 14, 2006

DESCUBRA AS DIFERENÇAS

ENTRE O "ARRASTÃO", EM 2005
E
O CASO DO "ENVELOPE 9", EM 2006

O ENVELOPE 9 E AS PIZZAS

Ainda ontem andava o país inteiro, num rebuliço danado,
a fervilhar à volta de um rol de
eminências que andariam a ser
escutadas.
Mais tarde, noite fora, as escutas
já se tinham metamorfoseado em
listas de discriminação de
chamadas, efectuadas de muitos
dos telefones que todos nós, gostosamente, ajudamos a
pagar.
Assim ou assado, demita-se o Procurador, se faz favor.

Agora, o que, de facto, me espanta é a cegueira de toda
esta gente, perante o único indício, realmente importante,
neste enredo folhetinesco:
Estou a referir-me ao facto de que, tanto Souto Moura,
como Paulo Pedroso, encomendavam as suas pizzas à
mesma pizzeria.

O rigoroso inquérito-relâmpago, que foi exigido por Jorge
Sampaio, devia era incidir, primordialmente, sobre esta
estranhíssima coincidência.
Pondo, desde já, pizzeria e cozinheiros, sob a mais rigorosa
vigilância.

O povo tem o direito de saber se, por exemplo, quando
Pedroso estava na prisão, também recebia pizzas?
Se sim, sabe-se lá o que iria dentro delas?
Quando Deus quer, iam, lá dentro, recadinhos de Souto
Moura, metidos no meio da massa?
Bom, se tivesse ido uma lima, teria sido mais grave:
Pedroso ter-se-ia evadido, em três tempos, em vez de ficar
por lá, a aboberar, todo aquele tempo, matutando e tecendo
planos para o dia em que há-de chegar a Primeiro Ministro
deste país, segundo a profecia da pitonisa Ana Gomes.

E quando investigarem o negócio das pizzas, era interessante,
já que estes senhores costumam apreciar o que é bom,
divulgarem o nome da pizzeria, para informação do Zé Pagante:

Era a Pizza-hut? A Tele-Pizza? A Pizza-na Braza?
Normalmente, o segredo está na massa...

TLIM

sexta-feira, janeiro 13, 2006

ESTÁS FEITO!

Cá está o criminoso dos bigodes, que touxe intrigada
meia Lisboa.











Aguardam-se, agora, os respectivos processos-crime.
Como o presumível culpado não está catalogado como
"PAI da PÁTRIA", muito provàvelmente estará
"feito ao bife".

Só há uma pessoa, neste país, a quem as várias autoridades
tudo perdoam, mesmo que viole, repetidamente, a Lei
Eleitoral.
E essa, não ostenta bigode.

TLIM

SAMPAIO AGASTADO

Nesta época vertiginosa em que vivemos quase todos,
de tal maneira embrenhados, egoìsticamente, nos
nossos próprios problemas, que não nos sobra tempo
disponível para escutar os outros, aparece, agora o
Senhor Presidente da Repúbica a protestar por exis-
tirem umas tantas almas, bem formadas, que dedicam
a sua atenção aos problemas alheios.

Que vão escutando, solìcitamente, as conversas que,
de suas casas,
têm o Presidente da República ( decerto não cometerão
o lapso de esquecerem sua mulher), o Primeiro Ministro,
o Presidente do Tribunal Constitucional, etc, etc.
O que, òbviamente, só pode ficar a dever-se a algum
nobre motivo.
O facto de este não estar, ainda, perfeitamente definido,
não tira mérito à intenção.
Porque, só ouvindo os problemas particulares de cada um
e, com a maior atenção ( daí, terem, até, feito gravações),
poderiam, mais tarde, oferecer a sua ajuda desinteressada.

Sendo assim, estas personalidades que se manifestam,
agora, tão agastadas, não poderão, nunca, vir, em futuro
próximo, queixar-se, de que:

-EU BEM FALEI, FALEI, MAS NUNCA NINGUÉM
ME QUIS ESCUTAR!

É isto Portugal: Um país que não conta com um único
cidadão que admita sentir-se satisfeito com o que tem!

TLIM

quinta-feira, janeiro 12, 2006

HISTÓRIAS DA CAROCHINHA

"Ocorrência" contada por Maria Barroso, com a
intenção de revelar "a forma ínvia e desonesta"
( as palavras são dela, juro) "como são feitas algumas
sondagens":

Tocando o telefone em casa de uma das suas amigas,
atende a empregada.
Perguntam de lá: - "Então em quem vai votar?"
Resposta da empregada:
- "Eu vou votar no Dr. Mário Soares que é em quem
eu votei sempre."
E, do outro lado: "Desculpe, foi engano".

A Dra. Maria Barroso desculpe lá, mas há aqui qualquer
coisita que cheira, digamos, a patranha com pouca arte.

Ou a Senhora é muito crédula, ou estará sofrendo de
alguma (acelerada) perda de faculdades, ou, então,
andará a ver demasiadas novelas da TVI.

Em vez de andar a tentar arranjar justificações para
os fracos resultados do consorte nas sondagens, coisa
que não lhe sai, de todo, bem, limite-se a recitar
textos de autores idóneos e deixe de lado a quadrilhice
que a coloca ao mesmo nível das "cabeleireiras do Seixal".

TLIM

quarta-feira, janeiro 11, 2006

A EXCITAÇÃO

No Seixal, Mário Soares indagava, durante uma visita
a um centro de formação:
-" Porque será que as cabeleireiras ficam excitadas
quando eu apareço?"

Eu, por mais esforço que faça, também não sou capaz
de atinar com o motivo.
Aceitam-se alvitres.

TLIM

MUITO QUERIDO

Existe, na revista "Única" (Expresso) uma página
dedicada à Internet, cujo texto é da autoria de
Paulo Querido.
Na última edição, o Paulo dedicou-se a divulgar
algumas conclusões sobre percentagens dos mundos
masculino e feminino, entre os navegadores na net.
O que uns procuram, o que outras preferem, e os mais
novos e os mais velhos e etc e tal, enfim:
Nada que não se tenha, antes lido, algures.

Foi o último parágrafo que, verdadeiramente, me
deixou confusa, e passo a citar:
"Outra (diferença) delas é um pouco mais misteriosa:
Porque é que apenas metade dos negros se liga, quando
60% das mulheres o faz?"

Porquê, hein?

O Paulo é das poucas pessoas que se pode gabar de ter
nascido na família certa:

É UM QUERIDO!!!

TLIM

O REGRESSO DO MENINO GUERREIRO

Uma inesperada ( ou não ) entrevista de Santana
Lopes à emissão especial desta noite da SIC notícias,
em plena campanha eleitoral,
veio servir que interesses, exactamente?

- Os da própria SIC, em primeiro lugar, que não perderá
a ocasião para fazer esticar o material, como se viu,
logo a seguir, com a presença, em estúdio, de um par de
conhecidos comentadores.
Ou muito me engano, ou nos próximos dias, a coisa
será escalpelizada, aqui e ali, como sempre.

- E os de Santana Lopes, em segundo, uma vez que nunca
gostou de permanecer muito tempo na sombra e esperava,
há alguns meses, pela oportunidade de ouro de espetar
umas farpazinhas revanchistas.
Além de acenar com a publicação de um livro de memórias,
coisa que fará levantar a orelha a muita gente.

Mário Soares agradece, reconhecido, o presente gratuito
caído, de graça, no seu colo.
Dele brotarão novas fontes de inspiração para os comícios
que ainda faltam.
E calha mesmo bem, se pensarmos que a sua última idéia,
originalíssima, aliás, foi o agitar de um espantalho
novo chamado "berlusconização" do país...

Razão tinham os nosso avós, quando diziam que
"quem muito fala, pouco acerta".

TLIM

domingo, janeiro 08, 2006

TANTO NÃO, VALHA-ME DEUS!

Esta é uma fotografia retocada,
para efeitos de propaganda.




A que saíu, hoje, na primeira página do "Expresso",
é um excelente instantâneo que terá feito a felicidade
do repórter que a obteve.
Mário Soares que, em passado recente, tantos elogios
teceu a" cartoons" em que aparece caricaturado, de
modo feroz, irritou-se, agora, com uma fotografia?
E Maria Barroso: Indignou-se porque o marido
"parece um velho"?

Em Viana do Castelo, aproveitando o microfone da TSF
para lançar para o éter o desagrado, declarou, no
melhor estilo dramático que, tão bem lhe conhecemos:

-"Alguns dos senhores jornalistas só sabem mostrar
o candidato Mário Soares como se fosse um velho,
incapaz de fazer qualquer coisa, desencadear qualquer
acção em favor do país. Aparece adormecido, como que
alquebrado, quando ele se sente perfeitamente capaz,
quer fisiològicamente falando, quer psicològicamente
falando. Se as pessoas fazem isso, também acho que
são capazes de adulterar as próprias sondagens, de
maneira a servirem determinadas intenções.
Fazer esta deturpação da verdade, como estão a fazer,
indigna-me profundamente.
Tanto não, Valha-me Deus"!

De vez em quando, Maria Barroso (que, como todo o
clã Soares, tem péssimo perder) vem insinuar que há
forças apostadas em prejudicar o marido. A última
que me ocorre, aconteceu no dia em que um antigo
combatente bateu, com um jornal, no braço de Mário
Soares. Ainda a veremos concluír que andam a
alterar as fotografias, carregando nos traços, ou, até,
a compôr foto-montagens.
Tudo para favorecer "aquele candidato de que,
agora, não me lembro o nome".

Que Deus lhe valha, efectivamente , mas, antes, não
seria mau ir ao confessionário e cumprir a respectiva
penitência.
Que, pelo andar da carruagem, poderá não ser pequena.

TLIM

ADEUS CLARA

A militância de Clara Ferreira Alves fez-lhe mal.
A mulher brilhante, saudàvelmente irónica,
imaginativa e pluralista, que eu tanto gostava
de ler e de ouvir, perdeu a chama. Perdeu a garra.
Foi-se-lhe o sentido de humor.
Tornou-se insuportàvelmente arrogante, snobe,
amarga.

Resumindo:
Está uma chata!
O "Eixo do Mal" podia mandá-la dar uma curva,
oferecer-lhe um bilhete, só de ida, para o Tibete.
O "Expresso" e o "Diário Digital" poderiam contribuír.
Era um descanso.

TLIM

sábado, janeiro 07, 2006

O CHARME TROPICAL

Dir-se-ia que existe, em alguns homens portugueses,
uma predestinação muito curiosa e que consiste em
vestirem a pele de "tansos", quando chocam, de frente,
com uma brasileira charmosa.

Bragança andou nas bocas do mundo por causa disso
mesmo e, mais recentemente, tivémos o triste caso de
uma loura vistosa que, um ano antes de entregar a alma
ao Criador, fez questão de contaminar meio mundo,
a troco de favores prestados.

No momento, é mais outra loura que vê a sua foto
estampada nas capas de vários jornais e, novamente,
por ter sido protagonista de mais um escândalo - tudo
leva a crer - de contornos sexuais.

Desta vez, a nossa heroína chegou mais alto: Nem mais
nem menos do que ao próprio Ministério da Justiça,
onde conseguiu um lugar de coordenadora no Gabinete
de Logística.
Coisa perfeitamente normal, tendo em conta a
experiência, prèviamente adquirida, ao balcão de um
restaurante do Centro Comercial Colombo, muito
apropriadamente, chamado D. Bacalhau.

Ernesto Moreira, director do Departamento de
Administração Geral do Instituto de Gestão Financeira
e Patrimonial da Justiça (ufa, que canseira!), encantou-se
com a moça e, para a ter, digamos assim, mais debaixo de
olho, sugeriu-lhe um lugarzinho no Instituto, com contrato
de três anos, ordenado de1.700€, gabinete próprio, duas
secretárias, carro, motorista, etc, etc.
Além de poder controlar vários departamentos que
poderiam proporcionar-lhe fontes de rendimento bem
lucrativas, se os escrúpulos não atrapalhassem.

Neste contrato, o Presidente do Instituto, António Morais,
assinou por baixo.

Quando a notícia saíu no Jornal do Fundão, em meados de
Dezembro, a agitação não foi grande.
Já com uma manchete de primeira página
no "Independente", a coisa fiou mais fino...

Em duas penadas, Presidente, Director e brasileira loura
"apresentaram a sua demissão" (o que eu gosto destes
eufemismos...) e, calculo, estarão, a esta altura, muito
murchos, a preencher algum impresso para acederem ao
subsídio de desemprego.

"Hélas", como diria aquele, já falecido, amigo de um dos
nossos candidatos à Presidência.

E, ó homens da minha terra, vêde lá se tendes mais
cuidado, da próxima vez que o Demo colocar uma
brasileira no vosso caminho!!!
Amen.

TLIM

sexta-feira, janeiro 06, 2006

INDULTADOS

Em 1991, o Presidente da República Mário Soares
indultou, entre outros, sete presos pertencentes às
Forças Populares 25 de Abril - organização terrorista
da extrema esquerda.
Alguns destes indultados tinham sido considerados
culpados de vários crimes de homicídio.

No início deste ano de 2006, o Presidente da República
Jorge Sampaio, indulta 57 presos de delito comum,
entre os quais estão 10 homicidas. Um deles, só à sua
conta, aviou 5, em dia de feira, por motivo de ciúmes.
A sua pena era de 18 anos.
Com o indulto, são-lhe perdoados 4.
Estando preso há 6 , com cinco sextos de pena cumprida,
tem direito a liberdade condicional.

Assim sendo, em breve poderá agarrar numa carabina,
como fez antes, e, perante nova rixa familiar ( os ciganos
são danados para a brincadeira) limpar o sebo a mais uns
quantos, se porventura a mostarda lhe chegar ao nariz.

Segundo parece, um dos factores que terá pesado na
avaliação destes perdões, seria a idade algo avançada de
alguns dos, agora, indultados.
O Presidente comoveu-se com o facto de estarem a ficar
velhotes.
Coitados; mereciam ir para o pé da família.

Já as famílias das vítimas das pessoas assassinadas
persistem em não achar bem estes indultos.
Deve ser tudo gente mal esclarecida.
Se bem que eu própria, no que a estes casos diz respeito,
confesso-me pèssimamente esclarecida.

Bom. É, entretanto, de louvar, o carinho que vem sendo
demonstrado, nestes últimos meses, pelos mais velhos.

Sem, de modo algum, querer comparar crimes de morte
com infracções mais ou menos graves, até houve um
senhor que, recentemente, infringiu, por duas vezes,
a lei eleitoral, logo à saída da Assembleia de Voto e,
graças a Deus, tudo lhe foi perdoado.
Por sinal, esse mesmo senhor parece, agora, muito pouco
dado a perdoar o pecado de outros pretenderem competir
com ele, numa espécie de "dança das cadeiras", a cujos
treinos temos vindo a assistir, diàriamente.

Talvez entenda que só ele é o legítimo proprietário da
última cadeira, cujo feitio e medidas já deve conhecer
de cor e salteado.

TLIM

quinta-feira, janeiro 05, 2006

NEM SENSO NEM SENSIBILIDADE

O Hospital de Viseu.
O Presidente da Comissão de Crianças em Risco.
A Comissão de Protecção de Menores.
Os Agentes da Autoridade.
TODAS AS ENTIDADES envolvidas neste, mais
do que sórdido, episódio de uma bebé com, apenas
dois meses, abusada até ao limite, estiveram-se,
positivamente, nas tintas, para o que aconteceu e
continuam, com a maior frieza e descaramento, a
justificar as suas posições.
Todos, sem excepção, entendem que fizeram o que
podiam, o que significa - NADA - não lhes tendo, assim,
sido possível evitar o que quer que fosse.

Salvo melhor opinião, esta MALTA só lá está a cumprir
horários e, mesmo isso, podemos duvidar que o consigam.
Para além de olharem para o relógio, devem esperar pelo
ordenadozinho, ao fim do mês e tudo o mais pode bem ir
para o inferno.

Que se danem, pois, todas as crianças abusadas e
maltratadas, por esse País fora, enquanto eles zelam por
conservar um TACHO que têm assegurado, enquanto
funcionários públicos.
Acontece morrerem umas tantas e, enquanto não morrem,
lá vão sofrendo horrores inomináveis?
- AZAR DELAS.
Os técnicos contratados para sua suposta protecção,
desculpem lá, mas têm mais que fazer!

É o retrato mais negro que se pode fazer de um Estado que
emprega e protege criaturas deste teor, com a agravante de
esse mesmo Estado evitar, tanto quanto pode, dispender
verbas onde elas são mais necessárias, como na criação de
centros de refúgio para crianças gravemente ameaçadas.

De uma Justiça que persiste em fazer-nos acreditar que existe.

E de um Povo "voyeur" que, passadas as notícias do momento,
já começou a esquecer a tragédia de hoje, para se entregar,
atentíssimo, ao próximo escândalo - reportagem em directo -
oferecido pelas nossas televisões sensacionalistas.
Que prefere ir insultar os criminosos depois de eles serem presos
já que, até lá, nunca ninguém é capaz de abrir o bico.

Hoje foi um daqueles dias em que senti genuína VERGONHA
de ter de compartilhar a minha nacionalidade com gente tão reles.

TLIM